MENU

Suspeito de matar vereador na Grande SP se apresenta à polícia

Suspeito de matar vereador na Grande SP se apresenta à polícia

Atualizado: Quarta-feira, 10 Agosto de 2011 as 4:07

O vereador Leozildo Aristaque Barros (PT), suspeito de ser o assassino do também vereador Rodrigo da Cruz França, se apresentou à delegacia seccional de Franco da Rocha, na Grande São Paulo, onde exerciam seus mandatos, por volta das 13h desta quarta-feira, de acordo com o delegado assistente Nivaldo da Silva Santos. França foi morto pelo colega na tarde de sexta-feira (5) durante uma romaria que saiu de Franco da Rocha em direção a Pirapora do Bom Jesus.

Segundo o delegado, Barros, que se apresentou acompanhado de advogados, teve a prisão preventiva decretada. Antes de ser ouvido pela polícia, o suspeito foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para exame de corpo de delito. Em seguida, retornará à seccional de Franco da Rocha para dar seu depoimento sobre o crime. Santos informou que o vereador ficará preso no centro de detenção provisória do munícipio.

  Testemunhas relataram que França foi agredido com tapa no rosto, em um primeiro momento, e depois alvejado por quatro tiros de pistola por ter feito uma piada sobre a mulher do vereador que efeutou os disparos. Segundo estas mesmas testemunhas, os dois vereadores eram amigos.

Os disparos ocorreram por volta das 15h de sexta. As testemunhas, que pediram para não serem identificadas, relataram que Leozildo primeiro deu um tapa no rosto do outro vereador, alegando que o colega havia feito uma piada sobre a mulher dele, mas logo foi contido pelos demais romeiros.

A romaria prosseguiu e, um pouco mais adiante, o vereador petista desceu do carro e deu o primeiro tiro no peito de França, que estava a cavalo. Em seguida, deu mais três tiros pelas costas, com a vítima já caída no chão.

Em sua fúria, Barros acabou atingindo inclusive dois amigos dele que tentaram interceder.  As testemunhas disseram que não houve discussões nem briga. França chegou a ser socorrido, mas morreu em um hospital da região.

O delegado Nivaldo Santos confirmou que o teor dos depoimentos das testemunhas foi justamente no sentido de que Rodrigo fez algum comentário sobre a mulher de Leozildo. “O atirador estava acompanhado da mulher e provavelmente o outro fez algum comentário”, disse. De acordo com Santos, o petista será indiciado por homicídio doloso e por outras duas tentativas de homicídio.

Rodrigo da Cruz França estava em seu terceiro mandato na Casa. Ele já foi, inclusive, presidente da Câmara Municipal.          

veja também