MENU

Suspeitos atiram contra PMs perto de favela na Baixada Fluminense

Suspeitos atiram contra PMs perto de favela na Baixada Fluminense

Atualizado: Sexta-feira, 9 Setembro de 2011 as 8:37

Policiais militares do 15º BPM (Duque de Caxias) foram alvos de criminosos na noite desta quinta-feira (9), perto da Favela da Mangueirinha, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. As informações foram confirmadas pelo batalhão. Segundo a polícia, os policiais patrulhavam a região, quando foram surpreendidos por quatro homens armados.

O crime aconteceu por volta das 23h50, na Rua Raimundo Corrêa. De acordo com a polícia, os criminosos, que estavam de carro, pararam em frente à viatura policial e efetuaram vários disparos. Os policiais reagiram, dando início ao confronto. Ainda segundo a Polícia Militar, ninguém ficou ferido.

Os suspeitos abandonaram o veículo na rua e fugiram em direção à favela. Segundo o batalhão, os policiais ainda realizaram buscas na comunidade, mas não encontraram os suspeitos. O carro usado no crime foi apreendido. Ninguém foi preso.

O carro apreendido foi levado para a 59ª DP (Duque de Caxias), onde o caso foi registrado.

Tiroteio em Manguinhos

Mais cedo, dois policiais militares foram feridos durante um tiroteio na Rua Leopoldo Bulhões, perto da Favela de Manguinhos, no subúrbio. O policiamento foi reforçado na região. A Polícia Militar informou que cerca de cem PMs fazem ronda em pontos estratégicos da região com o apoio de dois blindados.

De acordo com a Polícia Militar, traficantes atiraram contra um blindado do 22º BPM (Maré), que enguiçou na Rua Leopoldo Bulhões. O veículo apresentou problemas após deixar a Favela do Mandela, onde acontecia uma operação. Ainda segundo a PM, os dois policiais feridos estavam num reboque que tinha ido resgatar o veículo. Não há informações de outras vítimas.

O patrulhamento foi reforçado por agentes do 3º BPM (Méier), 16º BPM (Olaria) e do 22º BPM (Maré). Mais cedo, por causa do confronto, a Rua Leopoldo Bulhões chegou a ser interditada, no entroncamento com a Avenida Dom Hélder Câmara. Segundo o tenente-coronel Gláucio Moreira, comandante do 16º BPM, o reforço é por tempo indeterminado.

O clima na região ficou tenso e alguns moradores que voltavam para as suas casas preferiram aguardar nas ruas até o fim do confronto. No entanto, o comércio, segundo a PM, não chegou a fechar as portas. Pedestres e motoristas que passavam pela Rua Leopoldo Bulhões eram revistados.  De acordo com o Centro de Operações, a via foi reaberta logo após às 21h30.          

veja também