MENU

Taxista é condenado por morte em briga por troco de R$ 0,01 no CE

Taxista pega 10 anos de prisão por morte de passageiro

Atualizado: Sexta-feira, 10 Fevereiro de 2012 as 8:48

Um taxista foi condenado na noite desta quinta-feira (9) a 10 anos de prisão, emFortaleza, suspeito de matar um passageiro após uma briga por causa de R$ 0,01. Ainda cabe recurso de ambas as partes, pois a decisão foi em primeira instância na 3ª Vara do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua. Além disso, de acordo com o Fórum, a condenação prevê prisão em regime semiaberto.

O homem é suspeito de matar com um tiro Geovane Ferreira, de 33 anos, em 1º de janeiro de 2005. Segundo a acusação, eles discutiram o troco de uma corrida de táxi de R$ 0,01. De acordo com o processo do Ministério Público do Ceará (MP-CE), no dia do crime, Giovanni Vicente pegou o táxi da praia da Leste Oeste, em Fortaleza, com destino à avenida Duque de Caxias, no Bairro Farias Brito, também na capital cearense. Ele estava com a esposa e os filhos em uma corrida que custou R$ 4,64.

Ainda de acordo com o MP-CE, a vítima pagou com uma cédula de R$ 5,00 e pediu que o taxista dispensasse os R$ 0,04, mas o motorista teria negado e entregado o troco de R$ 0,35. Em resposta, Giovani disse ao taxista que, como ele havia feito questão de R$ 0,04, não dispensaria R$ 0,01.

Após a discussão, o passageiro desceu do veículo resmungando e bateu a porta com força e, de acordo com o processo, o suspeito sacou um revólver e atirou na vítima. O taxista ainda fugiu, mas acabou capturado e teve a arma apreendida. Em depoimento, o suspeito afirmou que no momento da discussão a vítima teria se armado com um pedaço de madeira e, por conta disso, teria efetuado o disparo.

Com isso, o taxista passou a responder por homicídio duplamente qualificado. O réu esteve foragido durante seis anos e se apresentou no Fórum Clóvis Beviláqua há três meses. Atualmente ele está preso na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto, em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza.

veja também