MENU

Taxista preso é maior fornecedor de drogas da classe alta, diz delegado

Taxista preso é maior fornecedor de drogas da classe alta, diz delegado

Atualizado: Sexta-feira, 17 Dezembro de 2010 as 8:30

O delegado Fernando Veloso, titular da 14ª DP (Leblon), afirmou nesta quinta-feira (17) que o taxista preso no fim da tarde , em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro, é considerado o maior fornecedor de drogas para as classes média e alta das zonas Sul e Oeste da cidade. Segundo Veloso, o suspeito atendia cerca de dez clientes por dia.

O taxista foi preso em flagrante em frente ao Botafogo Praia Shopping. A investigação começou há cerca de dois meses quando uma equipe da Delegacia de Dedicação Integral ao Cidadão (Dedic) da 14ª DP efetuou a prisão de um suposto usuário de drogas, que forneceu o nome e o número do telefone do taxista.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito estava sendo seguido por agentes da delegacia há cinco dias. Gravações telefônicas e imagens feitas por policiais mostram o taxista entregando a droga a passageiros em bairros da Zona Sul. A polícia também interceptou conversas com clientes de classe média.

Dezenas de ligações por dia Segundo o delegado Fernando Veloso, o telefone celular do taxista recebia diariamente dezenas de ligações de usuários e a entrega era realizada com um carro. A investigação comprovou também que o taxista atendia a artistas e empresários, que serão intimados a depor no inquérito policial.

Com o suspeito, os policiais apreenderam 19 tabletes de maconha, R$ 1.184,00, um caderno com anotações da contabilidade diária e o nome de seus clientes, dois celulares e o um carro. O delegado informou que ele possui 16 anotações criminais, por roubos, tráfico de drogas, receptação e três anotações criminais por homicídio.

Mandado de prisão

Em nota oficial, a Polícia Civil informou que o taxista já cumpriu 16 anos de reclusão, e que participou, nos anos 90, do assalto ao Hotel Sheraton. Ele possui também um mandado de prisão pendente por roubo. De acordo com o delegado, o suspeito lucrava cerca de R$ 3 mil por dia. O caso foi registrado na 14ª DP (Leblon).

Outro caso

Em maio deste ano, um outro taxista foi preso em flagrante em Copacabana, na Zona Sul, com cinco sacolés de cocaína. De acordo com a 14ª DP (Leblon), ele é suspeito de levar drogas na casa dos clientes, uma espécie de disque-drogas para usuários da Zona Sul. O homem era investigado há dois meses.  Segundo Fernando Veloso, o suspeito vendia drogas desarmado.    

veja também