MENU

Técnicos tentam capturar macaco Chico Manco pelo 6º dia consecutivo

Técnicos tentam capturar macaco Chico Manco pelo 6º dia consecutivo

Atualizado: Quarta-feira, 18 Agosto de 2010 as 4:05

Técnicos, biólogos e pessoas que trabalham no hotel Estância de Santa Luzia, em Mauá, no ABC, tentavam na manhã desta quarta-feira (18), pelo sexto dia consecutivo, capturar o macaco Chico Manco, que fugiu do mantenedouro onde vivia no hotel – que é supervisionado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O animal fugiu do local na quinta-feira (12) e passou a ser procurado na sexta-feira (13).

“Ele ainda está dando um baile no pessoal”, disse nesta manhã José Roberto Natalício, gerente do hotel. Na noite de terça-feira (17), Chico Manco conseguiu fugir para a mata mesmo após comer parte de um ovo cru com sedativo deixado em uma armadilha, driblando os biólogos.

"Nós quase conseguimos capturá-lo. Ele desceu de um galho para uma trilha e o biólogo correu atrás dele com a rede, mas ele foi mais esperto e quase que pega o biólogo", afirmou.

Nesta manhã, o macaco foi localizado em uma casa na região, mas fugiu de volta para a mata com a chegada de um biólogo. “Estamos reunindo um grupo maior de pessoas para tentar localizá-lo visualmente e encurralá-lo”, explicou Natalício, que também aguardava a chegada da Polícia Ambiental para auxiliar no trabalho.

Chico Manco fugiu na quinta-feira passada, depois que um galho caiu no recinto dos macacos. Dos oito que fugiram, apenas ele ainda não foi recapturado. O macaco foi para a Vila Real logo após escapar e tirou o sossego dos moradores.

Os biólogos e técnicos montaram diversas armadilhas para o animal – envolvendo alimentos com sedativos e uma gaiola que funciona como um alçapão. “A gente vai mudando de local conforme ele se move, é um trabalho de formiguinha”, disse o gerente do hotel.

Natalício apela para que os vizinhos não dêem alimentos a Chico Manco, "por mais dó que tenham", para que o animal seja atraído por iscas preparadas para capturá-lo.

O criadouro onde vivia Chico Manco tem cerca de 260 animais, todos oriundos de apreensões do Ibama por maus-tratos ou em operações de tráfico.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também