MENU

Temer diz que negociações para cargos do 2º escalão estão suspensas

Temer diz que negociações para cargos do 2º escalão estão suspensas

Atualizado: Terça-feira, 4 Janeiro de 2011 as 1:34

A transmissão do cargo de ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos a Moreira Franco contou com a presença da cúpula do PMDB nesta terça-feira (4). Um dia após o partido ter boicotado as posses de ministros petistas, figurões peemedebistas negaram que haja rixa com o PT na disputa por cargos do segundo escalão. O vice-presidente Michel Temer reiterou que a partilha de cargos para o segundo escalão está suspensa.

- [As negociações] estão suspensas até que haja diálogo de toda base aliada.

Peemedebistas estão reunidos no apartamento funcional de Temer, desde às 11h30, aproximadamente. Deverão participar do encontro o presidente do Senado, José Sarney, os líderes na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), e no Senado, Renan Calheiros (AL), o presidente interino do partido, senador Valdir Raupp (RO), e líderes como o senador eleito Eunício de Oliveira (CE) e o deputado federal Eduardo Cunha (RJ).

Temer disse ainda que a presidente Dilma Rousseff não deixará que uma possível disputa se torne uma crise dentro do governo. Ele evitou dizer se deixará o papel de articulador político agora que assume a vice-presidência e limitou-se a dizer que exercerá “o papel de vice”.

- Ela [Dilma] tem experiência nisso. Essas coisas são assim, elas são repetitivas, mas, quando se repetem, servem de experiência para o futuro. A ideia é que elas sirvam para o diálogo, e nós vamos dialogar.

O senador Valdir Raupp (PMDB-RO), em discurso afinado com os demais colegas de partido, negou que o PMDB esteja disputando espaço com o PT.

- No primeiro mandato do governo Lula, o PMDB não teve nenhum cardo em nenhum ministério dos dois primeiros anos. Nem por isso negou apoio à governabilidade. O PMDB tem responsabilidade com o Brasil, principalmente agora que tem o vice-presidente da República.

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), também fez discurso conciliador e afirmou que a busca por espaços é “legítima”. Para ele, a rixa entre PT e PMDB não poderá influenciar na disputa pela presidência da Casa. Maia é o candidato escolhido pelos petistas para sair candidato ao cargo, em fevereiro.

- Eu não acredito que essas questões tenham impacto na votação da Câmara. Não vejo porque isso possa acontecer se tratarmos isso como assunto da Câmara.

O ministro de Assuntos Estratégico, Moreira Franco, afirmou que o desentendimento entre os partidos “ainda está no plano da especulação”.

- Crise? Que crise? Há e haverá sempre divergências, mas isso não significa crise. Vamos resolver qualquer conflito pelo entendimento e pelo diálogo.

Parte da cota pessoal de Michel Temer para o ministério do novo governo, Franco, 66 anos, é sociólogo e governou o Rio de Janeiro entre 1987 e 1991. Durante a campanha presidencial, ele foi o responsável pelas contribuições de seu partido ao programa de governo de Dilma.

Entre 1998 e 2002, foi assessor especial do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, e em 2008 se tornou vice-presidente de Fundos e Loterias da Caixa Econômica Federal.

Os petistas José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, e o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, também compareceram na cerimônia de transmissão de cargo.

Por Priscilla Mendes

veja também