MENU

Teste de DNA dirá se sangue achado perto de túnel é de jovem sumido

Teste de DNA dirá se sangue achado perto de túnel é de jovem sumido

Atualizado: Terça-feira, 29 Março de 2011 as 12:42

A Polícia Civil de Suzano, na Grande São Paulo, investiga o desaparecimento de Alan Patrick, de 17 anos, suspeito de roubo e sumido desde o dia 11 de março. De acordo com denúncia feita pelo pai do jovem e testemunhas, dois dias depois, o adolescente foi visto pela última vez guiando uma moto e sendo perseguido e abordado por policiais militares da Força Tática na mesma cidade. Quatro pessoas que prestaram depoimento relataram ter ouvidos disparos perto de um túnel.

No local foi encontrado sangue e três cartuchos de balas pertencentes a pistolas 40, de uso da Polícia Militar. O delegado Jorge Luiz Neves Esteves, do Distrito Central de Suzano, afirmou nesta terça-feira (29) que policiais militares são os principais suspeitos, até o momento, pelo desaparecimento de Patrick.     “Há indícios veementes da participação deles no sumiço do rapaz”, disse o delegado Esteves ao G1 . Quatro policiais militares foram presos preventivamente pela Corregedoria da PM por suposto envolvimento com o sumiço do rapaz. Não há informações sobre o que os policias disseram em suas defesas.

O delegado também desconfia que Patrick possa ter sido baleado pelos policiais militares.

Sangue achado em túnel

Segundo o delegado, foi achada substância hematóide dentro do carro dos policiais. Um carpete do veículo chamou a atenção da Corregedoria porque foi lavado recentemente. Peritos da Polícia Técnico Científica de São Paulo colheram amostras do sangue perto do túnel, onde Patrick foi visto pela última vez, e da substância que estava no carro dos policiais militares. Todo esse material (do túnel e do carro) será submetido a exame de DNA comparativo com o sangue colhido da mãe da vítima.

“O resultado da comparação genética irá determinar se o sangue achado perto do túnel e no carro da PM são mesmo de Alan. Se isso ficar comprovado, teremos mais indícios da participação dos policiais militares no sumiço do jovem”, afirmou o delegado Esteves ao G1 . "Mas adianto que não é raro achar sangue em carros da PM. Isso porque é comum policiais militares também ajudarem vítimas de acidente de trânsito e levarem essas pessoas ao hospital antes do socorro da ambulância."

O resultado do exame de DNA deve ser conhecido dentro de 30 dias. Também será realizado exame de balística nos cartuchos recolhidos pela perícia, e que estavam perto do túnel, para saber se eles pertencem às armas apreendidas que estavam com os quatro policiais militares.

Por conta da prisão dos quatro policias militares suspeitos de envolvimento no desaparecimento de Patrick, a cúpula da PM decidiu afastar do comando da Polícia Militar em Mogi das Cruzes o comandante do 17º Batalhão, o coronel Paulo Roberto Madureira, e o capital da Força Tática da PM na região, o capitão Eduardo Rangel. O nome dos substitutos deverá ser divulgado ainda nesta terça. Os dois não foram localizados para falar.

O delegado suspeita que Patrick tenha sido perseguido depois da denúncia de que ele e um amigo saíram de Suzano e foram roubar uma moto em Mogi das Cruzes. O pai do adolescente contou à Polícia Civil que seu filho havia lhe dito que ia para uma festa com um amigo.

De acordo com o relato do amigo de Patríck à Polícia Civil, eles foram praticar um crime em Mogi das Cruzes. Após o assalto, a dupla se separou, o amigo foi embora com a moto roubada e o adolescente foi ao Jardim Colorado em Suzano, numa moto Honda CBX preta. De acordo com testemunhas, Patrick fugia da perseguição da PM, quando caiu e foi abordado por policiais militares. Segundo os relatos, ele foi levado 150 metros adiante onde foram efetuados disparos. Não se sabe se os tiros saíram das armas da polícia ou do adolescente. Uma perícia foi solicitada.

Nesta terça, bombeiros continuavam as buscas por Patrick em rios na região.      

veja também