MENU

Tire suas dúvidas sobre o Bilhete Único

Tire suas dúvidas sobre o Bilhete Único

Atualizado: Quarta-feira, 4 Novembro de 2009 as 12

O Bilhete Único é um cartão que permite viajar em até quatro ônibus da cidade de São Paulo, em ônibus e metrô ou ônibus e trem, pagando o valor de só uma passagem num período de duas horas. Ele foi criado pela prefeitura há cinco anos. Aos domingos, quem tem o Bilhete Único comum pode viajar de ônibus durante oito horas pagando só uma passagem.

R$ 3,75: É o preço da passagem de integração de ônibus com Metrô ou trem.

R$ 2,30: É o preço da passagem de integração entre até quatro ônibus municipais.

Atenção: o Bilhete Único não é aceito em ônibus intermunicipais, que circulam por mais de uma cidade do Estado.

Quais os tipos de Bilhete Único?

- Bilhete Único comum

Pode ser usado por qualquer pessoa.

- Bilhete Único vale-transporte

É usado pelo trabalhador. O empregador paga parte dos créditos do bilhete. A lei diz que quem tem carteira assinada só pode usar até 6% do salário para pagar o transporte de casa até o trabalho. A empresa paga o que passar disso. O vale-transporte é pessoal e outro passageiro não pode usá-lo. Mas o cartão também funciona de forma mista, em parte como vale-transporte e em parte como bilhete comum. Por isso, se quiser, o dono pode recarregá-lo em um posto de abastecimento pagando o valor normal de uma passagem. Carregado dessa forma, ele pode ser usado por outras pessoas.

- Bilhete Único estudantil

É usado por estudantes dos ensinos fundamental, médio, superior, técnico e profissionalizante. A prefeitura paga 50% do valor da passagem. O cartão é pessoal e não pode ser usado por outro passageiro. Mas também pode ser usado de forma mista, como o vale-transporte.

- Bilhete Único especial

É usado por idosos e portadores de deficiência. Ele dá direito à passagem de graça. Também existem bilhetes especiais para grávidas, que usam o sistema municipal de saúde para fazer o pré-natal, e obesos.

Como tirar o Bilhete Único?

- Geral

O Bilhete Único comum é vendido em casas lotéricas e em cerca de 6.000 postos espalhados pela cidade. Nesses locais, o valor mínimo de recarga é de R$ 2,30. Já nas loterias, é de R$ 8.

- Trabalhador

O trabalhador que tem um bilhete único comum e quer transformá-lo em vale-transporte, deve dar o número do cartão a sua empresa. A informação é passada para a SPTrans (São Paulo Transporte), responsável pelos ônibus municipais. Ela cadastra o bilhete, e os créditos são depositados. Se o empregado não tem bilhete único, a SPTrans envia um cartão novo.

- Estudantes

A escola em que o aluno está matriculado envia os dados dele à SPTrans para tirar o bilhete estudantil. A empresa checa se a distância entre a casa do estudante e o colégio é maior que um quilômetro. Enquanto isso, o aluno também faz o pedido no site da SPtrans ou em um dos postos de atendimento e paga R$ 11,50. A SPTrans manda então o bilhete estudantil para a escola do aluno.

- Idosos e deficientes

Os bilhetes especiais podem ser feitos em 31 postos das subprefeituras. O idoso vai até um deles levando o RG e um comprovante de residência e tira uma foto no local. Depois que o bilhete fica pronto, é enviado para a casa do idoso de graça. O mesmo acontece com os portadores de deficiência. A única diferença é que eles precisam levar um atestado médico da deficiência. É possível retirar o documento em qualquer posto de saúde.

- Grávidas

As grávidas que fazem o pré-natal em clínicas e hospitais públicos municipais devem pedir o bilhete na administração desses lugares. A Secretaria da Saúde manda um cartão com o valor das passagens necessárias para fazer o acompanhamento médico da gravidez.

- Obesos

Os obesos devem ir aos mesmos postos usados pelos idosos e portadores de deficiência . Eles passam por uma consulta para provar a obesidade. A SPTrans envia o bilhete para a casa deles. O cartão permite andar de ônibus sem precisar passar pela catraca, mas não dá direito a viajar de graça.

O que fazer se o bilhete for roubado, furtado ou perdido?

O dono do cartão deve registrar o que aconteceu pelo telefone 0800-771-0118

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também