MENU

Tiro de escopeta matou agente durante motim em MT, diz governo

Tiro de escopeta matou agente durante motim em MT, diz governo

Atualizado: Terça-feira, 21 Junho de 2011 as 11:13

Durante o motim em Cuiabá, agente penitenciário e

detento morreram (Foto: Ericksen Vital G1/MT)

  Um tiro de escopeta disparado por um policial militar matou o agente penitenciário Wesley da Silva Santos, que foi feito refém durante um motim nesta segunda-feira na Penitenciária Central do Estado, em Cuiabá. A informação foi confirmada esta manhã pelo secretário adjunto de Administração Penitenciária, tenente-coronel José Antônio Chaves. Segundo o secretário, o laudo do Instituto Médico Legal (IML) atesta que Wesley morreu ao ser atingido por um disparo de arma de fogo.

A Corregedoria da Polícia Militar de Mato Grosso já iniciou uma investigação para apurar as circunstâncias da morte do agente. Os 19 policiais que compõem o grupo de intervenção que atuou na penitenciária durante o motim foram ouvidos na noite de ontem pela Corregedoria. E a Secretaria de Estado de Segurança Pública determinou o recolhimento das armas dos policiais que agiram na unidade prisional.

Duas mortes

O motim aconteceu por volta das 14h desta segunda-feira, quando três presos eram levados do Raio 3 para uma sala de atendimento da defensoria pública na penitenciária. Os reeducandos fizeram refém o agente prisional Wesley da Silva Santos, 24. A assessoria da Secretaria de Estado de Segurança Pública havia informado que Wesley morreu após ser atacado por reeducandos com golpes de chuço (arma artesanal). A mesma informação havia sido confirmada pelo presidente do Sindicato dos Servidores do Sistema Penitenciário de Mato Grosso, João Batista Pereira de Souza, antes de ser desmentida pelo próprio governo na manhã desta terça-feira.

Quando os PMs entraram na penitenciária, Wesley estava em poder dos detentos. De acordo com o boletim de ocorrência, os policiais utilizaram armas não-letais antes de utilizar munição real. Três presos foram baleados e um deles, Weiner Brito, morreu por volta das 20h (horário de Mato Grosso) dentro do Pronto Socorro de Cuiabá. Os outros dois reeducantos foram medicados e passam bem.

Sem segurança

Após o motim e a morte de Wesley, os agentes prisionais de todo o estado decidiram paralisar as atividades como forma de protesto e para reivindicar melhores condições de trabalho. Esta manhã, cerca de 100 agentes protestam em frente à Penitenciária Central do Estado, em Cuiabá. Em todas as unidades prisionais de Mato Grosso, nesta terça-feira, a segurança é feita por policiais militares.

As reivindicações foram entregues por representantes do sindicato da categoria ao tenente-coronel José Antônio Chaves.          

veja também