MENU

Tony Ramos diz que no começo da carreira ficava até quatro meses sem salário

Tony Ramos diz que no começo da carreira ficava até quatro meses sem salário

Atualizado: Quinta-feira, 14 Outubro de 2010 as 11:44

O ator Tony Ramos contou histórias de sua carreira na televisão e elogiou a qualidade das telenovelas brasileiras em palestra na quarta-feira (12) no CCBB do Rio de Janeiro. Ele foi o quarto convidado do ciclo de seminários "A História da Telenovela", do qual já participaram Regina Duarte, Sonia Braga e Nathalia Timberg.

Para Ramos, a qualidade das telenovelas brasileiras é o que garante seus altos níveis de audiência mesmo numa época de concorrência com outras mídias.

"Algumas novelas são boas, outras nem tanto. Mas de maneira geral nós fazemos bonito não só no Brasil como lá fora", disse.

Ele recordou as dificuldades que vivenciou na carreira, como o período em que trabalhou na TV Tupi, na década de 1960.

"Havia uma grande camaradagem, e todos torciam para que aquela emissora desse certo, mas às vezes ficávamos três ou quatro meses sem receber salários", disse.

Para garantir a sobrevivência da família, o ator fazia peças no teatro e até dublagem de desenho animado.

"Tínhamos esperança que a empresa não fechasse. Fazíamos até jogo de futebol beneficente para pagar os funcionários. E conseguimos manter a emissora aberta por muito tempo, até não dar mais", disse. Ramos se lembrou de autores da época, como Geraldo Vietri, morto em 1996, que por vezes não entregava os roteiros a tempo e criava as cenas na hora da gravação.

"Ele inventava tudo na hora e depois transcrevia para o papel, já que precisava entregar o roteiro ao censor", disse, referindo-se ao período da ditadura militar.

Segundo Ramos, os roteiros na época eram rodados no mimeógrafo e passados para os atores em cima da hora.

O ator recordou também o primeiro sucesso nacional de sua carreira, a novela "Antônio Maria", de 1968, exibida pela TV Tupi.

"Fazíamos representações ao vivo dos capítulos da novela em diversas capitais do país para saciar a curiosidade do público", disse.

Tony Ramos finalizou sua palestra com conselhos aos novos atores. "O ator não pode acreditar no sucesso absoluto nem no fracasso absoluto. Seu trabalho depende fundamentalmente de perseverança e de disciplina", disse.

veja também