MENU

Torcedor registra confusão em que criança levou tiro de borracha em SP

Torcedor registra confusão em que criança levou tiro de borracha em SP

Atualizado: Segunda-feira, 5 Setembro de 2011 as 8:45

Um torcedor registrou em um telefone celular a confusão que aconteceu após um jogo de futebol em Ribeirão Preto, a 313 km de São Paulo, no sábado (3). Uma criança de 5 anos foi atingida por uma bala de borracha. As imagens não são nítidas, mas é possível ouvir o tiro.

Segundo torcedores, após o término do jogo, eles estavam em frente ao Estádio Palma Travassos quando um carro da PM chegou ao local. “A gente estava parado conversando e, de repente, começou o tumulto. Os policiais chegaram batendo em um torcedor. Perguntamos o que estava acontecendo e começaram a atirar com balas de borracha na gente”, afirmou um torcedor de 17 anos que sofreu ferimentos na mão ao ser atingido por uma das balas.  

Um torcedor percebeu que o garoto foi atingido e gritou com os policiais. O menino atingido por uma bala de borracha sofreu escoriações no braço e foi encaminhado à Unidade Básica de Saúde Castelo Branco, onde recebeu atendimento e foi liberado em seguida. O pai dele, José Jair dos Santos, foi até a delegacia e registrou um boletim de ocorrência contra os policiais. “Vou entrar com uma ação. Até quando a PM vai agir desse jeito em estádio de futebol?”, questionou.

Segundo a Polícia Militar, a confusão iniciou-se com um confronto entre torcedores do Botafogo e do Comercial na rotatória que liga as Avenidas Castelo Branco e Maria de Jesus Condeixa. De acordo com o boletim de ocorrência, um torcedor “acendeu e mirou um rojão em direção aos torcedores do Botafogo”.

O boletim ainda relata que após a detenção do autor do disparo do rojão, torcedores do Comercial começaram a arremessar pedras, garrafas, latas de cerveja em direção ao carro da PM. Para acabar com o tumulto, os policiais usaram de munição química e dispararam balas de borracha.

Um inquérito policial militar já foi instaurado para apurar se houve uso de força excessiva da PM na ação.          

veja também