MENU

Tradicional colégio de Curitiba fecha as portas

Tradicional colégio de Curitiba fecha as portas

Atualizado: Quarta-feira, 29 Dezembro de 2010 as 8:22

“Esta escola morre vítima da inadimplência, da voracidade tributária e da nefesta burocracia dos órgãos públicos”. A frase faz parte de um manifesto colocado na entrada do Colégio Curitibano, referência de ensino no bairro Água Verde, em Curitiba.

A escola particular vai fechar depois de 25 anos de prestação de serviços na área educacional. Muitos móveis já foram retirados de dentro da escola. O clima de tristeza toma conta da família Brand, que fundou e dirigiu a escola por todos estes anos.

O principal problema enfrentado pelo Colégio Curitibano foi a inadimplência, que cresceu nos últimos anos. A taxa era de 20% entre 200 alunos. E, mesmo que o problema da falta de pagamento acontecesse já na matrícula, a escola era obrigada a permanecer com o aluno durante o restante do ano letivo.

“O valor da mensalidade da escola particular sobe acima da inflação. O bom pagador tem que assumir a diferença. Nos nossos cálculos já temos que contar com a taxa de inadimplência. Muitos pais, entre pagar carro e celular ou a escola particular dos filhos, prefere o carro e o celular”, conta Denise Brand Sano, gerente administrativa do Colégio Curitibano e filha do professor Harold Brand, fundador e diretor-geral da escola.

Destino

Os alunos e os professores foram avisados sobre o fechamento da escola em outubro deste ano. Eram 16 professores e três funcionários. A direção do colégio orientou os pais sobre a escolha da nova escola para os alunos e encaminhou currículos dos professores para outras instituições.

Brand, além de fechar as portas do colégio, teve que vender o terreno onde ele está atualmente. No local será construído um condomínio com prédios residenciais.

“Tentei vender para outras escolas. Mas aí que vi que a minha ainda estava em melhores condições do que outras, que não conseguem sair desta situação e não têm como fechar as portas. A venda pelo menos ajudou a pagar as contas”, comenta Brand.Ele lembra que, além da manutenção da escola, existiam pesados encargos e taxas. Isto também contribuiu para que a escola ficasse financeiramente inviável.

Doações

O prédio será entregue pela família no final de janeiro. Até lá, a escola será desmontada aos poucos. Os livros da biblioteca estão sendo doados e os brinquedos do parquinho também terão um novo destino.

O professor Brand se emociona e diz que vai sentir muita falta do contato com as crianças e adolescentes. Cinco dos 15 netos dele ainda estudavam na escola. O Colégio Curitibano atendia desde o ensino infantil até o ensino médio. Toda a documentação da escola e dos alunos será repassada para a Secretaria de Estado da Educação.

As aulas acabaram no dia 17 de dezembro e cinco dias antes houve uma despedida com os estudantes. Eles deixaram mensagens de agradecimento no ginásio do colégio. Nestes 25 anos, o Colégio Curitibano formou estudantes que se tornaram médicos, advogados, engenheiros, entre outras profissões.

veja também