MENU

Trânsito de carros atrapalha reprodução de tartarugas em Sergipe

Trânsito de carros atrapalha reprodução de tartarugas em Sergipe

Atualizado: Quinta-feira, 11 Fevereiro de 2010 as 12

Uma reserva de tartarugas luta contra um predador inesperado. Todos os anos, mais de 700 mil ovos são deixados nas areias de uma praia no litoral de Sergipe. Mas os recém-nascidos precisam se defender do tráfego de veículos.

As placas e faixas não deixam dúvidas: é proibido dirigir na praia. Mas isso não impede que a areia seja usada como pista. O tráfego de veículos é intenso na reserva ecológica de Santa Isabel.

Os 53 quilômetros de praia da reserva são marcados por estacas. Cada uma delas sinaliza a presença de um ninho. No período de reprodução, as fêmeas chegam à praia para desovar. Só no ano passado, elas deixaram quase 6 mil ninhos.

Mas, a cada temporada de desova, aumenta a preocupação dos biólogos em proteger os ninhos do trânsito de carros. Além do risco de atropelar os bichos durante o trajeto até o mar, a passagem de carros impede que os filhotes saiam dos ninhos. "Com um rastro desse tipo, com certeza dos filhotes não conseguiram sair [do ninho], porque a areia estaria compactada e os filhotes não teriam força suficiente para chegar até a superfície", disse o biólogo Adélio Travaglia.

As marcas de pneus estão por toda a parte. Em um trabalho contínuo, os integrantes do Projeto Tamar abordam os turistas que dirigem pela praia. Os biólogos não têm autoridade para multar, mas fazem o que podem para conscientizar os infratores.

veja também