MENU

Trecho da Linha 8 da CPTM segue interditado após colisão entre trens

Trecho da Linha 8 da CPTM segue interditado após colisão

Atualizado: Sexta-feira, 27 Janeiro de 2012 as 8:10

O trecho da Linha 8-Diamante da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que fica entre as estações Itapevi e Engenheiro Cardoso, permanecia interditado por volta das 5h50 desta sexta-feira (27), reflexo de uma batida entre dois trens ocorrida na noite desta quinta-feira (26). Ao menos sete pessoas ficaram feridas.


O Plano de Apoio entre Empresas de Transporte frente a Situações de Emergência (Paese) foi acionado, e ônibus faziam o transporte de passageiros no trecho. No início desta manhã, havia uma longa fila de passageiros aguardando os ônibus para seguir viagem. No trecho entre Engenheiro Cardoso e a Estação Júlio Prestes, os trens circulavam normalmente.


O choque entre as composições aconteceu por volta das 21h20, perto da estação Itapevi da CPTM. O trem tinha saído da Estação Júlio Prestes, no Centro de São Paulo, e estava a apenas uma estação de Itapevi, seu destino final, quando bateu em outra composição, que, segundo a CPTM, fazia a manobra de retorno.



“Do nada bateu, foi um impacto muito grande. Eu bati a cabeça e na hora desmaiei”, contou a vendedora Ana Gabriele Prado. “Começou a fumaça. Falei: ‘vai explodir, como eu vou sair daqui’. Comecei a dar soco para abrir a porta, não abria”, disse o atendente de crédito Rafael Fernandes Pereira.


Ao menos sete pessoas ficaram feridas. Seis foram encaminhadas para o pronto-socorro central da cidade, que fica a poucos metros do local do acidente. Destas, quatro foram liberadas após receber os primeiros-socorros - apenas um homem de 31 anos, com ferimento na perna, e o maquinista de um dos trens, que estava em estado de choque, permaneciam na madrugada desta sexta (27) em observação. Uma mulher com fratura no quadril foi encaminhada pelo Samu ao Hospital Geral de Itapevi.


A perícia trabalhou durante toda a madrugada para investigar a causa do acidente. Em nota, a CPTM disse que abriu sindicância para apurar as causas do ocorrido.

veja também