MENU

Trecho Sul do Rodoanel faz um ano com fluxo de 44 mil veículos por dia

Trecho Sul do Rodoanel faz um ano com fluxo de 44 mil veículos por dia

Atualizado: Sexta-feira, 1 Abril de 2011 as 8:17

O Trecho Sul do Rodoanel Mario Covas completa um ano de inauguração nesta sexta-feira (1º) recebendo, em média, 44 mil veículos ao dia, de acordo com a concessionária SPMar. Desse total, 60% são veículos pesados. Interligando rodovias como Régis Bittencourt, Anchieta e Imigrantes, o trecho surgiu como alternativa para desafogar o tráfego em vias da capital paulista como as marginais e a Avenida dos Bandeirantes.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) diz que, com a abertura do trecho e a inauguração da pista central da Marginal Tietê, houve uma melhora de 22% nos índices médios de lentidão na capital paulista, passando de 72,9 km para 56,9 km, das 7h às 20h. Os números são relativos às médias de congestionamento registradas no 2º semestre de 2009 e no mesmo período de 2010.     Na Avenida dos Bandeirantes, usada pelos caminhões para o acesso às rodovias que ligam São Paulo ao litoral, a CET afirma que a redução nas lentidões foi de 69%, passando de 5,3 km para 1,6 km, em média. Já na Marginal Tietê, houve melhoria de 51% nas filas - de 18,4 km para 8,9 km. Entre esses principais corredores, o menor impacto aconteceu na Marginal Pinheiros, que registrou melhora de 13% na fluidez (de 7,4 km para 6,4 km de congestionamento, em média).

O Trecho Sul começou a ser construído em 28 de maio de 2007. O custo total do empreendimento até a inauguração foi de R$ 5,03 bilhões, de acordo com a Dersa, sendo R$ 3,24 bilhões referentes às obras brutas e R$ 1,79 bilhão em gastos com compensações ambientais e desapropriações, entre outros. Em todo o trecho, há 114 pontes e viadutos, além de passagens superiores e inferiores.     Com 57 km de extensão, o trecho passa por sete cidades: Embu, Itapecerica da Serra, Mauá, Santo André, Ribeirão Pires, São Bernardo do Campo e São Paulo. Com a ligação com o Trecho Oeste, são cinco rodovias unidas ao Sistema Anchieta-Imigrantes.

Concessionária

A concessionária SPMar assumiu a operação do Trecho Sul no dia 10 de março deste ano. As primeiras iniciativas foram em relação ao atendimento ao usuário, de acordo com Marcelo de Afonseca, diretor comercial da companhia. O trecho conta, por exemplo, com três ambulâncias, três veículos de inspeção, um centro de controle operacional e guinchos para o atendimento aos motoristas. São cerca de 200 funcionários que trabalham na limpeza e segurança do anel viário.

A cobrança de pedágio só pode começar depois de 180 dias, prazo em que devem ser realizadas revitalizações e melhorias no trecho, previstas em contrato. Afonseca diz que, depois desse período, a agência reguladora fará uma fiscalização para ver se todos os itens foram cumpridos e libera o início da cobrança. A tarifa apresentada na licitação em julho de 2009 foi de R$ 2,1991, valor que sofrerá o reajuste previsto anualmente.

O diretor comercial diz que logo será solucionado o problema de falta de sinal de celular em alguns pontos do trecho. “Já fizemos um contato com as concessionárias de telefonia e elas estão se mobilizando em relação à instalação de torres. Já os telefones de emergência, que precisam estar localizados a cada quilômetro, nós temos 12 meses para fazer essa instalação”, afirma Marcelo de Afonseca. O trecho conta, atualmente, com dez câmeras de monitoramento. Esse número deve chegar a 60 também nos próximos 12 meses, de acordo com a concessionária.

Com pouco mais de 20 dias de operações na via, a SPMar iniciou um estudo das condições do pavimento do Trecho Sul, para verificar eventuais necessidades de intervenção. “A princípio, o pavimento está em boas condições”, afirma Afonseca.      

veja também