TSE autoriza PSDB a fiscalizar pesquisa Sensus

TSE autoriza PSDB a fiscalizar pesquisa Sensus

Atualizado: Sexta-feira, 16 Abril de 2010 as 12

O ministro Joelson Dias, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), autorizou o PSDB nesta quinta-feira a fazer uma fiscalização na pesquisa do Instituto Sensus.

Pesquisa do instituto, encomendada pelo Sintrapav (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção Pesada de São Paulo), apontou anteontem empate técnico na corrida presidencial entre o tucano José Serra (32,7%) e a petista Dilma Rousseff (32,4%) - resultado mais apertado já obtido entre os dois candidatos até agora.

"O ministro Joelson Dias determinou a entrega para o partido de toda a documentação, inclusive dos formulários utilizados na pesquisas", afirmou o advogado Ricardo Penteado, que defende o PSDB.

O pedido de fiscalização foi apresentado hoje pelo advogado. Ontem, o partido ajuizou um pedido de multa ao instituto. Segundo Penteado, o Sensus desrespeitou o prazo legal de cinco dias entre o registro da pesquisa no TSE e a divulgação dos resultados.

Nesta quinta-feira, o ministro mandou notificar o instituto para que apresente sua defesa. A reportagem ainda não conseguiu falar com representantes do instituto.

A pesquisa foi registrada inicialmente no último dia 5 em nome do Sindecrep (sindicato de trabalhadores em concessionárias de rodovias). No entanto, diz Penteado, após a Folha ter revelado que a entidade negava a encomenda ao Sensus, houve o registro, no dia 9, de um outro sindicato como autor do registro, o Sintrapav (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção Pesada de São Paulo).

A partir daí, conforme argumenta o advogado do PSDB, um novo prazo deveria ter sido contado, e a pesquisa só poderia ter sido divulgada hoje. Penteado pede multa de R$ 100 mil ao instituto.

De acordo com a sondagem, Ciro Gomes (PSB) teria 10,1%, e Marina Silva (PV), 8,1%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Segundo dados apresentados ao Tribunal Superior Eleitoral, sob o registro de número 7594/2010, o levantamento foi feito entre os dias 5 e 9 de abril em 24 Estados, com 2.000 entrevistas.

Por: Daniel Roncaglia

veja também