Turista morto ao cair de bondinho é homenageado com balões na Lapa

Turista morto ao cair de bondinho é homenageado com balões na Lapa

Atualizado: Sexta-feira, 1 Julho de 2011 as 10:43

Moradores de Santa Teresa soltam balões em

homenagem ao turista francês que morreu ao

cair do bonde (Foto: (Foto: Lilian Quaino / G1))

  Ao som do Hino Nacional e da Marselhesa, o hino francês, um grupo de moradores de Santa Teresa, região central do Rio, soltou, na manhã desta sexta-feira (1°), balões brancos, azuis e vermelhos, cores da bandeira da França, em homenagem ao turista francês Charles Demien Pierson, de 24 anos. Ele morreu ao cair do bondinho quando passava pelos Arcos da Lapa.

O acidente foi no dia 24, quando o turista estava no estribo do bonde tirando fotografias. A grade de segurança dos arcos não resistiu a seu peso e ele caiu de uma altura de 15 metros, morrendo na hora. O corpo do francês deve seguir ainda nesta sexta-feira (1°) para a França, segundo informou o Consulado francês no Rio.

Além de homenagear o turista, os moradores pediram ainda a reforma de todo o sistema dos bondinhos. Segundo o advogado Abaeté Mesquita, diretor da Associação de Moradores de Santa Teresa (Amast), existe uma determinação judicial para que o sistema dos bondes seja recuperado, mas que não vem sendo cumprida.

"A Justiça não se fez cumprir e o Ministério Público não exige o cumprimento", reclamou ele, explicando que a sentença judicial que ordena a recuperação de bondes, trilhos e gradis é resultado de uma ação civil pública proposta a partir da iniciativa de um morador após o acidente em que morreu a professora Andreia de Jesus Resende , em 2009. No acidente, um bonde foi atingido por um táxi e perdeu o freio. Ao deixar o bonde em pânico, a professora foi atropelada por um ônibus.

Trens barulhentos

A presidente da associação de moradores, Elzbieta Mitkiewicz, explica que a população quer a recuperação dos 14 bondes tradicionais - atualmente apenas dois estão em funcionamente - e não quer mais a circulação dos três novos bondes tipo VLT que, segundo explicou, são incompatíveis com o traçado das ladeiras e curvas de Santa Teresa, tornando-se instáveis e barulhentos.

"Mesmo com um total de cinco bondes em condições de funcionamento, em geral apenas dois circulam por dia e o tempo de espera entre um e outro é de uma hora", disse ela.        

veja também