MENU

Veja danos provocados por tiros ao helicóptero da Globo

Veja danos provocados por tiros ao helicóptero da Globo

Atualizado: Segunda-feira, 24 Janeiro de 2011 as 4:09

A Central Globo de Comunicação (CGCOM) divulgou na tarde desta segunda-feira (24) fotos dos estragos causados pelos três tiros que atingiram o helicóptero da conhecido como Globocop nesta manhã.  A aeronave foi atingida enquanto se preparava para fazer imagens de uma operação policial no Morro da Mineira, no Rio de Janeiro.

Um dos projéteis atingiu o assoalho, o segundo, a região central e o terceiro, a cauda da aeronave, modelo Eurocopter AS350 B2.

O projétil que atingiu o assoalho rompeu um cabo do sistema de controle do rotor de cauda, afetando a dirigibilidade do Globocop e obrigando o piloto Antonio Ramos a realizar um pouso forçado no Aeroporto de Jacarepaguá, na Zona Oeste.

Além do piloto, estavam a bordo o operador de sistemas Roberto Mello Reis e a repórter Karina Borges. Ninguém se feriu. A TV Globo já informou o incidente às autoridades policiais e aeronáuticas. A Chefia de Polícia Civil do Rio determinou a abertura de inquérito, que será conduzido pela 6ª DP (Cidade Nova).           A operação

Um suspeito foi preso, quatro foram feridos e mais de 300 kg de maconha foram apreendidos na operação da Polícia Civil que acontece desde a manhã desta segunda em favelas do Rio Comprido e do Estácio, na Zona Norte do Rio. O delegado Ronaldo Oliveira, do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE) informou, ainda, que o suspeito preso seria chefe do tráfico da região e que estava com uma escopeta.

Os policiais também apreenderam dois fuzis na ação. No momento, não há tiroteio, mas, na chegada dos policiais ao local houve intensa troca de tiros. Alguns tiros atingiram janelas do prédio do Centro Administrativo São Sebastião, onde funciona a sede da Prefeitura do Rio.

“Acredito que os tiros que atingiram o prédio da prefeitura foram acidentais. Mas, se foram dados de propósito, só mostra o grau de desespero dos traficantes com a presença da polícia”, disse Ronaldo Oliveira.    

veja também