MENU

Vereador de Taubaté diz que declaração foi infeliz e equivocada

Vereador de Taubaté diz que declaração foi infeliz e equivocada

Atualizado: Sexta-feira, 21 Outubro de 2011 as 3:10

O Conselho de Ética da Câmara de Taubaté, a 140 km de São Paulo, vai analisar se houve quebra de decoro parlamentar por parte do vereador Rodson Lima (PP). Na última quarta-feira (19), em viagem oficial ao Nordeste, o parlamentar anunciou em uma rede social da internet que está hospedado num hotel de luxo e que leva uma vida de príncipe. Tudo pago com dinheiro público.

Pelo Facebook, o vereador informou que está hospedado num hotel do Sergipe, que tem piscina e vista para o mar. Disse que tudo isso é pago com dinheiro público e agradeceu ao povo por dar a ele uma vida de príncipe.   A atitude gerou revolta dos internautas. Um grupo de discussão criado para debater as eleições municipais do ano que vem ficou indignado. O vereador também respondeu com ofensas e tentou explicar o motivo da viagem.

Segundo Rodson Lima, ele está em Aracaju para participar de um encontro com representantes do Legislativo de outras cidades do país. Por telefone, em conversa com o repórter Ademir Ribeiro, Rodson voltou a falar sobre a vida de luxo no Nordeste:

"Eu descobri que o hotel é três estrelas, mas pra mim é como se fosse um palácio. Eu estou conversando com você na janela e tem uma piscina de quarenta metros com cachoeira, é brincadeira?"

E agradeceu pela vida de príncipe que leva como vereador.

"Vivo a vida de príncipe há 15 anos. Dois motoristas, assessores, celular, assessoria jurídica, gabinete com ar condicionado... Inclusive até postei assim: engenheiros que são formados por Harvard,Yyale, Michigan não desfrutam disso que eu desfruto. É muita honra que o povo me dá. Eu sou eternamente agradecido."

Na manhã desta sexta-feira (21), em entrevista à TV Sergipe, afiliada da TV Globo, Rodson Lima considerou que foi uma declaração infeliz e equivocada.

O vereador responde a 14 processos na Justiça Eleitoral e está inelegível para a próxima eleição. Ele foi condenado por improbidade administrativa em dois deles. A Câmara informou que a viagem custou R$ 9.600, entre passagem, hospedagem e inscrição para o congresso.

veja também