MENU

Verônica queria contratar alguém para matar amante, diz polícia

Verônica queria contratar alguém para matar amante, diz polícia

Atualizado: Segunda-feira, 13 Junho de 2011 as 12:10

A estudante Verônica Verone, que confessou ter asfixiado e matado o empresário Fábio Gabriel Rodrigues, em um motel em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, queria contratar uma pessoa para matar o ex-amante. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (13) pela delegada que concluiu o inquérito sobre o caso, Juliana Rattes. “Na mesma semana da morte do Fábio ela tentou comprar uma pistola por R$ 2 mil. Ela ainda oferece 2 mil para que uma pessoa pudesse praticar um homicídio. Duas testemunhas nos contaram isso durante as investigações”, disse a delegada. O inquérito, encerrado na semana passada, foi enviado ao Ministério Público. A polícia indicia Verônica por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver, já que na ocasião ela tentou arrastar o corpo de Fábio até o carro, mas não conseguiu. Segundo a delegada, o laudo cadavérico de Fábio ajudou a concluir o inquérito, já que não foram constadas presença de drogas no sangue do empresário. “No exame cadavérico do Fábio apareceu uma substância que a gente desconhecia, um antidepressivo. Ela induziu ele a tomar esse remédio, e quando ele estava inconsciente, ela subiu em cima dele e provocou a asfixia. Ele não ingeriu nenhuma outra droga”, explicou a delegada. De acordo com Juliana, a mistura do remédio com bebidas alcoólicas pode deixar a pessoa desnorteada, quase inconsciente. Crime

O assassinato aconteceu dia 14 de maio em um motel da Região Oceânica de Niterói. Segundo o inquérito, Fábio foi morto por asfixia mecânica, enforcado possivelmente por um cinto.   A polícia também concluiu que Verônica tentou esconder o corpo do empresário. Ela teria arrastado o cadáver, que pesava 90 kg, do quarto do motel até a garagem. Os investigadores excluíram a possibilidade de participação de uma outra pessoa depois da reconstituição do crime, quando Verônica conseguiu arrastar um policial e um saco de areia, ambos com o mesmo peso de Fábio. Presa há cerca de um mês na penitenciária Bangu 7 pode pegar até 30 anos de prisão, segundo a delegada.          

veja também