Viagens extras das barcas da linha Praça XV-Niterói seguem suspensas

Viagens extras das barcas da linha Praça XV-Niterói seguem suspensas

Atualizado: Terça-feira, 29 Novembro de 2011 as 8:43

As viagens extras das barcas da linha Praça XV-Niterói seguem suspensas na manhã desta segunda-feira (29). A medida foi anunciada pela concessionária Barcas S/A, depois que o catamarã Gávea I bateu no píer da Praça XV no início da tarde de segunda-feira (28). No momento da colisão, 900 passageiros estavam na embarcação. Apesar da suspensão, prevista até a perícia seja concluída, a movimentação é normal no terminal da Praça XV nesta manhã.

De acordo com a Barcas S/A, a empresa opera com três catamarãs sociais, com 1,3 mil lugares cada um e duas barcas tradicionais, com 2 mil lugares cada. As saídas acontecem com intervalos de 15 minutos.

Ainda segundo a concessionária, devido à interdição dos dois píeres pela perícia, os passageiros devem evitar o serviço desse trajeto nos próximos dias entre 7h e 10h e 17h30 e 20h. O tempo estimado de acesso à estação durante esses horários pode ser de aproximadamente 30 minutos. Feridos

Bombeiros informaram que 55 passageiros foram atendidos após a colisão , que aconteceu por volta das 12h quando o catamarã chegava de Niterói, na Região Metropolitana. Já o gerente da empresa que esteve no local, Mário Liberalli de Góes, havia calculado que cerca de 25 teriam ficado feridos.

O comandante do grupo de socorro e emergência dos bombeiros, coronel Gabriel Obeid, afirmou que a maioria dos atendimentos foi de casos sem gravidade, e que 25 pacientes foram encaminhados para a Unidade de Pronto Atendimento de Botafogo, na Zona Sul do Rio. Já os casos de mais complexidade foram distribuídos entre os hospitais Souza Aguiar, no Centro (8 feridos), Miguel Couto, no Leblon (17), e Salgado Filho, no Méier (5 feridos).

Catamarã ficou danificado após batida na segunda-feira (28) (Foto: Reprodução/TV Globo)

Segundo o gerente das Barcas Mário Goes, o catamarã teve problemas na atracação na chegada ao Rio, vindo de Niterói, e bateu num pier já desativado da estação. "A comandante tirou a embarcação de perto da estação, fez a parada total, jogando a âncora e iniciou as providências de socorro aos feridos", explicou Liberalli.

Ele disse ainda que os bombeiros foram chamados e chegaram rapidamente. Foi quando o Gávea 1 atracou e os bombeiros entraram pra fazer a triagem dos feridos.

A concessionária explicou que, após avaliação de equipe técnica da empresa, foi apurado que realmente algumas cadeiras se quebraram e/ou soltaram, por conta do impacto, conforme relataram alguns passageiros. 

Investigação

A Capitania dos Portos instaurou um inquérito para apurar as causas do acidente, que deve ficar pronto em 90 dias. A Agetransp também abriu um processo regulatório sobre o acidente.

A embarcação Gávea I ficará fora de circulação por tempo indeterminado, para reparos e testes.          

veja também