MENU

Vídeo da perícia será usado por Promotoria em julgamento dos Nardoni

Vídeo da perícia será usado por Promotoria em julgamento dos Nardoni

Atualizado: Terça-feira, 16 Março de 2010 as 12

Um vídeo elaborado pelo Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Civil a partir do trabalho dos peritos vai ser usado pela promotoria para sustentar a acusação contra o casal Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá, acusados de jogar a menina Isabella, então com 5 anos, pela janela do apartamento na noite de 29 de março de 2008. O julgamento do casal terá início na próxima segunda-feira (22), no Fórum de Santana, na Zona Norte.

Na versão da polícia, o casal pára na garagem do prédio, local onde a madrasta teria agredido Isabella. Vestígios de sangue teriam ficado no carro.

Para a acusação, Alexandre entrou em casa com a filha no colo e a jogou no chão da sala. Em seguida, Ana Jatobá teria asfixiado a menina com as duas mãos. Pela conclusão dos peritos, Alexandre pegou uma faca e uma tesoura, foi ao quarto e cortou a tela de proteção.

Depois, pegou a filha no colo, entrou no quarto e caminhou sobre a cama. A pegada de Alexandre ficou no lençol. O pai teria jogado a menina desacordada pela janela. A tela de proteção deixou marcada a camiseta do pai.

"Nós não temos a prova crucial, a perícia crucial. Eu não me refiro assim. O processo tem um acervo probatório muito grande. Nós temos várias testemunhas cujos depoimentos nos permitiram visualizar o histórico de vida daquele casal", afirmou o promotor Francisco Cembranelli, que pediu o indiciamento do casal.

O advogado de defesa do casal Nardoni questiona o trabalho da Polícia Científica e também vai usar isso no tribunal. "A perícia não pode trabalhar para montar uma história que a polícia não conseguiu montar. E neste caso eu não tenho dúvida que isso foi feito: a perícia trabalhou em função da polícia", afirmou Roberto Podval.

Na Rua Santa Leocádia, na Vila Mazzei, na Zona Norte de São Paulo, a tranquilidade voltou. Depois de dois anos, nem parece o mesmo lugar: já não há câmeras, nem curiosos. Mas o que aconteceu não sai da memória de quem vive no edifício London.

"É uma sensação muito ruim, né? Você passa assim e sente uma coisa negativa. A gente não esquece de jeito nenhum, não tem como esquecer, né?", disse uma vizinha.

Isabella Nardoni tinha 5 anos quando foi encontrada caída no jardim do prédio. Era uma noite de sábado, a menina não resistiu. Desde o momento em que Isabella foi encontrada no jardim, Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá, únicos réus pela morte, afirmam que uma terceira pessoa pode ter entrado no apartamento quando o casal estaria na garagem com os outros filhos. E Isabella, sozinha lá em cima.

O que realmente aconteceu naquela noite é o que o tribunal do júri vai responder a partir de segunda-feira. Para o promotor, não há dúvida sobre a autoria do crime, mesmo sem uma prova inquestionável.

veja também