MENU

Video mostra Serra sendo agredido

Video mostra Serra sendo agredido

Atualizado: Quinta-feira, 21 Outubro de 2010 as 10:02

Uma caminhada do candidato José Serra (PSDB) no Rio, na quarta-feira (20), transformou-se em uma das principais polêmicas da campanha à Presidência da República. Nesta quinta (21), em seu programa na TV, Serra mostrou as imagens, dizendo que foi "agredido e atingido na cabeça" . E o presidente Lula, em discurso, acusou Serra de mentir sobre a agressão . O G1 ouviu três jornalistas que participaram da cobertura da caminhada, cada um de um veículo diferente, para tentar traçar a sequência dos fatos. Os fatos narrados abaixo também levam em conta o registro feito pelo SBT, que flagrou o momento em que uma bola, aparentemente de papel, atinge a cabeça de Serra; um vídeo divulgado pela Folha.com, gravado com celular; e os relatos das repórteres do G1 e da TV Globo no local.

O episódio ocorreu na tarde de quarta no bairro de Campo Grande, na Zona Oeste do Rio (veja fotos ). O bairro fica a cerca de 70 km do Centro, e o evento ocorreu em uma área de forte comércio popular. Serra deixou o local e foi levado a uma clínica na Zona Sul. O médico que o atendeu diz que não constatou ferimentos, mas recomendou 24 horas de descanso, e Serra cancelou o restante dos compromissos de campanha que teria no dia.

A seguir, a cronologia:

- Militantes do PSDB, na maioria mulheres, aguardavam Serra. Havia vários pastores. Dois dos jornalistas maracaram o horário. O horário era por volta das 12h20.

- Às 12h50, chegam militantes do PT. Passam na frente dos militantes do PSDB. Militantes do PT falam algo provocativo aos do PSDB. Os militantes do PT descem o calçadão e ficam distantes dos do PSDB.

- Pouco depois das 13h, Serra chega e começa a caminhada. Com cerca de dez minutos de caminhada, alguns militantes do PT começam a gritar "Dilma". Havia também um grupo conhecido como "os mata-mosquitos", formado por ex-agentes de saúde demitidos na época em que Serra foi ministro da Saúde, que mostravam um cartaz com os dizeres "Serra, quem é Paulo Preto?", em referência ao ex-diretor da Dersa, uma empresa pública de São Paulo.

- Por volta das 13h25, militantes do PSDB e PT começam a gritar uns com os outros. Mas os militantes do PT ainda estão distantes do candidato, e a caminhada continua. Serra vai de loja em loja, cumprimentando eleitores. Aparenta tranquilidade.

- Por volta das 13h30 militantes do PT começam a se aproximar de Serra.

- O tumulto aumenta e, segundo os jornalistas, testemunhas dizem que, neste momento, bolinhas de papel foram jogadas em direção a Serra.

- Teria sido neste trecho, em que Serra perto de uma farmácia, que a câmera do SBT flagrou um objeto atingindo a cabeça de Serra. O objeto parece uma bola de papel.

- O candidato é levado para dentro de uma farmácia por assessores e seguranças.

- Um repórter ouviu um segurança falando que seria mais seguro Serra voltar para a van que o tinha trazido.

- Serra sai da loja e começa a ser levado para a van. Militantes do PT mais uma vez tentam se aproximar dele. Começa um empurra-empurra, e há troca de agressões entre militantes.

- É neste momento que, segundo testemunhas, Serra teria sido atingido por uma bobina de fita crepe. Os pastores Maurício Teixeira e Paulo César Gomes, da Igreja Assembleia de Deus do Poder e Gloria, dizem que estavam presentes no momento em que Serra foi atingido. “Eu vi que ele foi atingido por uma bobina de fita crepe quando caminhávamos. Estava muita confusão. Mas ele não ficou machucado, não se feriu”, disse.

- Já o pastor Gomes, entrevistado na quarta pelo G1 , afirmou que também viu o momento em que o candidato foi atingido. “Eu estava abraçando o Serra, e ele levou um rolo de fita crepe na cabeça. Eu levei uma paulada, que era uma espécie de cabo de vassoura”, contou.

- Antes de entrar na van, fotógrafos registram o candidato com a mao na cabeça.

- Ao entrar na van, Serra diz a um fotógrafo que está "grogue", mas bem.

- O carro com Serra anda alguns metros e para. Serra fica um tempo na van, desce de novo, anda um pouco e cumprimenta alguns eleitores.

- Depois entra novamente na van e vai embora.

O que diz a assessoria de Serra

Segundo a assessoria de Serra, o candidato foi atingido em dois momentos. A assessoria diz que, segundo testemunhas, um grupo do PT cercou os militantes do PSDB que começavam a caminhada, inclusive o candidato. Eles xingavam e chegaram a jogar bolinhas de papel em direção ao candidato. Uma delas teria acertado Serra. A caminhada continua e, com o tumulto aumentando, os seguranças levaram Serra para dentro de uma loja. Ele espera um pouco e sai, já em direção à van. O clima continua tenso e um objeto atinge a cabeça do candidato. Serra entra na van. Desce alguns metros depois, para cumprimentar simpatizantes, mas se queixa de tonturas e os assessores acharam melhor levá-lo para um hospital.

O que diz um militante do PT

Um dos presentes era Sandro Cézar, conhecido como Sandro "mata-mosquito", que foi candidato derrotado pelo PT a deputado estadual. Ele disse ao G1 : "Estávamos realizando um protesto pacífico próximo ao local. Cerca de 20 pessoas estavam me acompanhando. O Serra se irritou quando viu um cartaz que dizia ‘Serra, quem é Paulo Preto?’. Aí a confusão começou. Os seguranças do PSDB nos agrediram. Teve muito empurra-empurra, agressão. Mas eu não agredi ninguém e não me machuquei"

veja também