MENU

'Vim desesperado', diz pai de menino morto em lava a jato no Rio

'Vim desesperado', diz pai de menino morto em lava a jato no Rio

Atualizado: Terça-feira, 29 Março de 2011 as 8:44

O menino de 12 anos assassinado na manhã de segunda-feira (27) não era o alvo dos dois suspeitos que atiraram contra um lava a jato, na Rua Inhumaí, na Pavuna, no subúrbio do Rio, e acabaram matando também o dono do estabelecimento. A informação é da Divisão de Homicídios, que investiga o caso.

O homem, conhecido como Chacrinha, trabalhava no momento do crime. Ele levou oito tiros. O enterro será nesta terça-feira (29), às 13h, no cemitério Ricardo de Albuquerque, também no subúrbio. O corpo da criança continua no Instituto Médico Legal (IML). Segundo a DH, testemunhas podem ser chamadas nesta terça para prestar depoimentos.

O crime aconteceu em frente à Escola municipal Alberto José Sampaio, onde o menino estudava. “Eu vim desesperado e fui saber que meu filho estava morto. Meu filho é estudioso, todo mundo gosta dele na rua, o bairro todo, todo mundo adora ele”, disse, emocionado, o pai do menino, Jorge Nunes Moreira.     Como foi o crime

Ainda de acordo com a polícia, dois homens usando capacete estacionaram uma moto no local, desceram e começaram a atirar no menino que estava ajudando na loja. Em seguida, assassinaram o dono.

Segundo policiais do 41º BPM (Irajá), testemunhas disseram que o menino costumava ajudar o o dono do lava a jato antes de ir para a escola.

A criança chegou a ser levada para o Hospital Juscelino Kubitschek, no Centro de Nilópolis, na Baixada Fluminense, mas não resistiu aos ferimentos. O homem morreu no local.    

veja também