MENU

Visita do governador do estado é marcada por bate-boca em Londrina 40PR41

Visita do governador do estado é marcada por bate-boca em Londrina 40PR41

Atualizado: Sexta-feira, 22 Janeiro de 2010 as 12

A visita do governador Roberto Requião (PMDB) a Londrina, ontem, dia 21, para assinatura de contratos para o sistema de água e esgoto no Município, no saguão da Prefeitura, foi tumultuada por protestos de 25 moradores da Chácara São Miguel, que tentavam falar com ele contra a instalação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Esperança. O governador perdeu a paciência e chamou os manifestantes de mal educados e de "molecagem" o fato de interromperem seu discurso. "Eu nunca gritei na presença de um governador. É uma falta de respeito e não me interrompam mais", gritou com os manifestantes depois que vários afirmaram que o processo de consulta pública foi uma mentira.

Requião disse que a questão está encerrada. "A estação vai ser construída ali. Ela é indispensável para a saúde de mais de 120 mil pessoas", afirmou. De acordo com ele, o governo vem investindo milhões de reais na saúde de Londrina, com as reformas dos hospitais da Zona Norte e Zona Sul, ala de Queimados do HU e ajudando a Prefeitura nas dificuldades financeiras para não fechar hospital. "Mas nada disso adianta se não tem esgoto e água tratada", justificou. O governador foi duro com os manifestantes e disse que não iria "enrolá-los". "Vai ser lá. Será uma usina moderna, isenta de cheiro e que ainda vai gerar energia. Protestos vão acontecer sempre mas esta decisão foi tomada de forma técnica", afirmou.

Nos final da cerimônia, os manifestantes cercaram o governador e tentavam argumentar sobre a mudança do local da ETE Esperança apenas dois quilômetros do local escolhido. "Hoje, o senhor é governador, mas quando morrer vai ser como outro qualquer e Deus está anotando tudo isso", disse uma das manifestantes. Requião foi irônico ao responder. "Eu não vou morrer de insalubridade numa cidade", disse.

Antes da chegada de Requião à Prefeitura, duas moradoras da Chácara São Miguel, Maria Elisa Castanha e Vera Victorino, já haviam cercado e discutido com o presidente da Sanepar, Stênio Jacob. "O senhor sabe do grande número de moradores da região e que existem quatro outros pontos que poderiam receber a estação de tratamento sem problemas?", questionaram. Jacob disse que todo o processo de instalação foi discutido com os moradores e que não haverá problemas para ninguém, no que foi rebatido pelas moradoras. "Publicaram a chamada para audiência pública em jornal de Apucarana. Isto não é querer fazer as coisas por baixos do pano?", questionou Maria Elisa.

De acordo com Jacob, os protestos são normais. "Quando fomos implantar o sistema Tibagi, as pessoas disseram que não podia ser feito porque as pessoas iriam beber água com agrotóxicos. Entretanto não houve nada disso. Imagina se não houvesse este sistema hoje?", questionou.

Obras vão levar esgoto a 90% da cidade

O governador Roberto Requião e o presidente da Sanepar, Stênio Jacob, assinaram ontem em Londrina, contrato de financiamento com a Caixa Econômica Federal no valor de R$ 73,4 milhões para obras no Projeto Tibagi, o que permitirá ampliar 30% da capacidade do sistema de captação e abastecimento de água em Londrina e Cambé, de 1.800 litros por segundo para 2.400 litros por segundo.

Também foram assinados a ordem de serviço para ampliação do sistema de esgotamento sanitário, com execução de mais de 65 mil metros de rede coletora interceptadores de esgoto, além de mais de 3,5 mil ligações prediais e programa de despoluição ambiental, elevando o nível de atendimento da rede de esgoto da cidade de 87,65% para 90,41%. Também estão previstas obras de ampliação da Estação Elevatória de Esgoto Paris e Eucaliptos e melhorias nas ETEs Norte e Sul.

De acordo com Stênio Jacob, com as novas obras, os indicadores de Londrina atingem índices de "fazer inveja" a qualquer cidade do mundo. "Isto é resultado do empenho do governo para manter a Sanepar uma instituição pública. Hoje, 64% do Paraná é atendido por coleta e tratamento de esgoto. É recorde mundial e estamos dentro daquilo preconizado pela ONU. Até o fim do ano, vamos estar atendendo 65% dos municípios paranaenses", afirmou.

O prefeito Barbosa Neto agradeceu o compromisso do governo do Estado com Londrina e os investimentos feitos na cidade. De acordo com ele, "saberemos reconhecer nas urnas o compromisso com Londrina".

veja também