Vítimas das chuvas em Petrópolis ainda não têm laudo da Defesa Civil

Vítimas das chuvas em Petrópolis ainda não têm laudo da Defesa Civil

Atualizado: Sexta-feira, 25 Março de 2011 as 12:49

Os moradores de áreas atingidas pelo temporal de janeiro em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, ainda não receberam o laudo da Defesa Civil, com a situação das casas, mais de dois meses depois da tragédia. Muitas famílias dependem do documento para decidir se vão deixar o imóvel para tentar conseguir o Aluguel Social.

As casas da região continuam em risco, já que nenhuma obra foi feita até agora. Moradores dizem que não podem fazer nada sem o parecer técnico dos engenheiros da Defesa Civil. “Estou de mãos atadas e com quatro crianças. Não posso sair daqui porque minha filha tem escola, eu não tenho também para onde ir”, disse a dona de casa Cleidiane de Oliveira.

Uma encosta que separa terreno dela e dos vizinhos cedeu com o temporal. Com isso, quatro casa estariam em risco. Moradores querem construir um muro e fazer obras nas casas, mas precisam do laudo. Em fevereiro, uma equipe da Defesa Civil vistoriou o local e afirmou que a área não estava segura. Esse laudo é que é o caminho para nós em tudo, sem esse laudo não podemos fazer nada”, desabafou a aposentada Mary Ramalho.

A Defesa Civil informou que o pedido de vistoria de Cleidiane Rosa de Oliveira já está com técnicos para que seja realizada. 345 desaparecidos

Mais de dois meses após a tragédia da chuva na Região Serrana do Rio, 345 pessoas permanecem desaparecidas segundo dados do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ). De acordo com o MP, há registros de desaparecimentos em pelo menos quatro cidades da região.

Ainda segundo o Ministério Público, Teresópolis é a cidade com o maior número de desaparecidos: 180. Em Nova Friburgo, 85 casos de desaparecimento foram registrados, enquanto em Petrópolis, 47 pessoas continuam desaparecidas.     O MP informou ainda que o município de Sumidouro registra um desaparecimento e 32 pessoas seguem desaparecidas em outras localidades da Região Serrana.

Mortos passam de 900

A enxurrada de 11 de janeiro que atingiu as cidades da Região Serrana já deixou 916 mortos, de acordo com as prefeituras dos municípios mais afetados pelas chuvas.

Em Teresópolis há 386 mortos. Nova Friburgo registra 428 vítimas, enquanto que em Petrópolis já foram resgatados 73 corpos. Também houve 22 mortes em Sumidouro, 6 em São José do Vale do Rio Preto e 1 em Bom Jardim.      

veja também