MENU

Vítimas de desabamento no Centro do Rio recolhem objetos nos escombros

Vítimas de desabamento no Centro do Rio recolhem objetos nos escombros

Atualizado: Segunda-feira, 1 Novembro de 2010 as 1:58

Sobreviventes do desabamento de um prédio na Cidade Nova , no Centro do Rio, voltaram no domingo (31) ao local para tentar recuperar o pouco que restou em meio aos escombros. Ao todo, quatro pessoas morreram e outras 12 ficaram feridas. Duas das vítimas foram enterradas no domingo (31), a menina Taís Damasceno de Oliveira, de 9 anos, e Antonia Sátiro Soares, de 44 anos.

“Por ser criança, por ter muita criança no bairro que aconteceu tudo isso, tá todo mundo sofrendo muito. Até porque eram muitas famílias juntas, todo mundo mora na mesma área”, disse a estudante Tamires Nunes, durante o sepultamento de Taís de Oliveira, no Cemitério do Catumbi, Zona Central do Rio.

O corpo de Antonia Sátiro Soares foi enterrado no Cemitério do Caju, na Zona Portuária. Ela morava com o marido e um dos filhos, e no primeiro alerta dos vizinhos, os três saíram correndo. Mas Antônia decidiu voltar para pegar roupas e documentos, e acabou soterrada.

O marido de Antônia, o cozinheiro Otacílio Soares acompanhou , mas não conseguiu salvá-la. “Ela subiu para pegar os documentos. Aí no momento, não deu pra voltar mais”, contou, emocionado.

A garçonete Marilda Aparecida Tomás contou que escapou por pouco. “Eu estava dormindo, escutei um barulho, aí comecei a correr, o maior cheiro de gás. E tava caindo tudo. Aí eu fugi pelo telhado”, disse.

O edifício ao lado do que ruiu foi interditado porque a estrutura está comprometida. Mas mesmo assim, os moradores retiraram os móveis e levaram para um local seguro.

“O que resta agora é só a gente voltar à luta de novo para ver se consegue tudo de novo, né?”, disse a auxiliar de cozinha Maria Luzanira Farias.   Trinta e três famílias foram removidas das áreas próximas ao desabamento , segundo informou o subsecretário de Defesa Civil do município do Rio de Janeiro, coronel Sérgio Simões. "Elas foram acolhidas pela Prefeitura e estão na casa de amigos ou familiares, onde vão passar a noite", disse Simões ao G1 no início da noite de sábado (30).

Por volta das 15h de sábado foi resgatado o quarto corpo dos escombros do prédio, de Antônia Sátiro Soares, que morava no 2º andar do edifício. O filho e o marido de Antônia, que também estavam em casa no momento do acidente, sobreviveram, segundo informou a cunhada de Antônia, Rita Barros Soares.

"A Antônia era doméstica. Ela estava em casa com o filho de 9 anos e o marido. O filho foi resgatado sem ferimentos. E o marido foi para o Souza Aguiar e já está quase tendo alta", contou Rita pouco antes de saber da morte da cunhada e ser amparada.

Para o coronel Pedro Machado, subsecretário de Defesa Civil do Estado e comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Rio, essa é a última vítima que estava sob os escombros. "Entendemos que este era o último corpo que estava sob os escombros. Continuaremos fazendo trabalho de busca manual, retirando objetos e documentos que são importantes para essas famílias".   Ainda segundo Machado, o prédio que desabou era muito antigo, provavelmente com a estrutura debilitada. Ele explicou que diversos imóveis no local foram abandonados e invadidos por moradores e estariam irregulares. O coronel disse ainda que moradores às vezes fazem obras sem orientação técnica nos imóveis, tornando-os mais vulneráveis.

As causas do desabamento ainda estão sendo investigadas. Nenhuma hipótese foi descartada até o momento para o desabamento, e os bombeiros vão investigar se houve vazamento de gás.    

veja também