MENU

Aposta nos jogos em rede torna games 100% off-line objetos em extinção

Aposta nos jogos em rede torna games 100% off-line objetos em extinção

Atualizado: Quarta-feira, 10 Fevereiro de 2010 as 12

Games que trazem modos de jogo on-line ou que são totalmente jogados pela internet existem há mais de uma década, com títulos como "Counter-strike" e "Everquest". Mas foi nos últimos anos a maior facilidade de acesso à rede e o aumento na velocidade da conexão popularizaram títulos com esse recurso, principalmente nos consoles. Atualmente, os jogadores exigem que os grandes lançamentos do mercado apresentem modos de jogo on-line e, por isso são cada vez mais raros os jogos 100% off-line.

O lançamento do game de tiro para múltiplos jogadores on-line  "MAG", que suporta 256 usuários simultâneos, ao lado de títulos com que focam em partidas pela rede como "Call of duty: modern warfare 2", "Warhawk" e "World of warcraft", por exemplo, mostram que os games estão cada vez mais conectados.

Ao ser anunciado na Electronic Entertainment Expo (E3) 2008, "MAG" foi cercado de grande expectativa. Ao trazer um grande número de gamers on-line no PlayStation 3, o título permite criar uma batalha virtual entre dois exércitos. O jogador faz parte de um esquadrão e precisa trabalhar em equipe de acordo com sua classe no game. A expectativa é que os próximos games incorporem o modelo de "MAG", com ainda mais potencial de interação entre jogadores.

Games sempre conectados

Os jogadores são atraídos para o game on-line porque as partidas nunca são iguais. O motivo disso está na interação entre os jogadores, que conversam entre si e criam estratégias para completar uma missão.

"O cérebro humano apresenta diversos modelos cognitivos e o que mais funciona no jogador é o da detecção de padrões", afirma Roger Tavares, doutor em games pela PUC-SP. "O problema do jogo off-line é que estes padrões se esgotam muito rápido. Quando o jogador parte para um game on-line, ele vê  pessoas criando padrões diferentes e ele desejará decifrar todos".

Para André Nogueira, produtor do estúdio brasileiro Tectoy Digital, os games on-line ou com modos de jogo pela internet são uma tendência sem volta. "Não há como substituir o ser humano na qualidade da interação social. Quando se desenvolve um jogo on-line, você está pedindo ajuda ao usuário para que ele torne o game ainda mais legal e mais rico", afirma. "

A socialização entre amigos é outro motivo que fortalece o desenvolvimento de componentes on-line pela indústria de games. "É mais do que uma tendência, é uma evolução natural", diz Bertrand Chaverot, diretor da Ubisoft Brasil. "A maioria dos jogos são feitos com uma parte multijogador forte, trazendo socialização. E a inteligência dos seus amigos é melhor que a Inteligência Artificial do computador".

veja também