MENU

Apple e Facebook sofrem pressão nos EUA para respeitar privacidade

Apple e Facebook sofrem pressão nos EUA para respeitar privacidade

Atualizado: Sexta-feira, 20 Maio de 2011 as 3:13

Serviço de localização no Android pede autorização do usuário (Foto: Altieres Rohr/Especial para o G1)

  Uma grande quantidade de informações sobre localização, incluindo dados de celulares de adolescentes, está sendo recolhida e vendida sem o consentimento dos consumidores, algo que precisa ter fim, afirmaram nos Estados Unidos formuladores de políticas em uma comissão de empresas de tecnologia na quinta-feira (19).

Embora eles tenham notado que Apple, Google, Facebook e outras empresas do Vale do Silício contribuíram com grandes inovações tecnológicas, também mostraram irritação com a coleta e a venda de dados de consumidores sem seu consentimento. Grande parte da ira se deve a aplicativos de smartphones e a coleta de dados de adolescentes.

"Um adolescente que acessa um aplicativo pode não se dar conta de que sua agenda de contatos está sendo acessada e compartilhada com terceiros. Isso não deveria acontecer neste país sem a permissão de um adulto", disse o senador John Rockefeller, presidente da Comissão de Comércio.     A descoberta em abril, de que os iPhones da Apple coletavam dados de localização e os armazenavam por até 1 ano – mesmo quando o software de localização devia estar desligado – estimulou novas investigações sobre localização e privacidade. O Google, que também provocou discussões sobre privacidade com seus serviços Buzz e Street View, foi arrastado para a discussão por também ter admitido coletar dados de localização por meio do seu sistema operacional Android.        

veja também