MENU

Banda Larga móvel atende demanda reprimida no Equador

Banda Larga móvel atende demanda reprimida no Equador

Atualizado: Quarta-feira, 9 Março de 2011 as 12:49

As operadoras de redes móveis do Equador estão expandindo agressivamente sua cobertura 3.5G HSPA, porque todas vêem a banda larga móvel como uma forma de sustentar o crescimento futuro, segundo novo relatório da Pyramid Research. O relatório traça um perfil das telecomunicações, mídia e tecnologia no país, baseada em dados de pesquisas de mercado.     O mercado de telecomunicações do Equador é feito de extremos. O país penetrou fortemente no mercado móvel, ostentando uma taxa de aumento de 107% no número de assinaturas no fim de 2010, enquanto o mercado de serviços fixos se mantém em 14,5%, abaixo da média latino-americana de 16,7%, informa Eulália Marin-Sorribes, analista da Pyramid. Segundo ela, a penetração dos serviços de banda larga do Equador é de apenas 2,7%, menos da metade da média regional de 7,2%.

“Por estar subindo a taxas fixas, o mercado de banda larga e tevê por assinatura pode sugerir taxas de crescimento mais rápido, mas o ambiente de regulamentação complicado, assim como a limitada competição, vai manter as taxas de crescimento em níveis modestos”, diz Sorribes.

"Dada a penetração de banda larga do Equador relativamente baixa, as operadoras vêem a banda larga móvel como o principal meio para atender a demanda reprimida de conectividade no Equador", completa.

Devido à cobertura limitada, baixas velocidades de conexão e altas tarifas, a Pyramid acredita que as operadoras móveis terão maior oportunidade de crescimento que as operadoras de banda larga fixa no Equador. “Porta, Movistar e Alegro estão inserindo suas plataformas de banda larga móvel como uma alternativa à banda larga fixa", indica Marin-Sorribes.    

veja também