MENU

Chineses acusam Apple de plágio em projeto do novo iPad

Chineses acusam Apple de plágio em projeto do novo iPad

Atualizado: Terça-feira, 2 Fevereiro de 2010 as 12

Acostumada a enfrentar a pirataria e a enxurrada de cópias chinesas que sucedem o lançamento de cada um de seus produtos, a Apple pode vivenciar o outro lado da moeda com a criação do iPad: uma fabricante de produtos eletrônicos da China acusa a empresa de Cupertino de plágio, alegando que a prancheta eletrônica apresentada na última semana é "idêntica" a um produto lançado em agosto de 2009.

Wu Xiaolong, presidente da Shenzhen Great Loong Brother Industrial Co., ameaça levar a Apple aos tribunais. "O P88 e o iPad são idênticos", afirmou, em entrevista ao jornal espanhol "El Mundo". "Não apenas o fato de ser uma tela multitoque e o formato do aparelho, mas até mesmo a capa e o suporte são iguais", reclama.

"Pretendemos entrar com ações judiciais, mas há pouco o que fazer [nos tribunais] dos Estados Unidos. Mas se a Apple tentar trazer o iPad para a China, não teremos outra opção."

"Nós não entendemos. Por que eles fizeram o mesmo que nós?", questionou Huang Xiaofang, executivo da empresa, em entrevista à agência de notícias AFP.

A prancheta digital chinesa, que suporta Linux e Windows XP, Vista e 7, foi lançada em agosto e apresentada durante a edição de 2009 da feira de novidades eletrônicas IFA, em Berlim. "Lançamos antes deles", afirmou.

Ainda de acordo com o fabricante, apesar de ser um pouco mais grosso e pesado do que o tablet da Apple, o P88 traz uma tela sensível ao toque um pouco maior, processador mais rápido e, diferentemente do iPad, portas USB e câmera de 1,3 megapixels. A duração da bateria, porém, é de uma hora e meia, contra a de 10 horas do iPad.

O iPad chega ao mercado em dois meses, a partir de US$ 499. Já o P88, segundo Huang, já está à venda na internet, por um preço equivalente a cerca de US$ 530.

veja também