MENU

Compra de tecnologia pesa menos no bolso do brasileiro

Compra de tecnologia pesa menos no bolso do brasileiro

Atualizado: Sexta-feira, 20 Maio de 2011 as 3:03

A 13ª edição da Pesquisa Brecha Digital, realizada pela Marco Consultora, indica o poder de compra dos brasileiros em relação a PCs, notebooks e netbooks melhorou nos últimos oito meses: hoje é necessário 1,5 salário médio para comprar um notebook e na edição anterior, em agosto de 2010, esse índice era de 1,8 salário.

O estudo foi feito na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e México e revelou que o Brasil tem o segundo melhor salário médio, de $969, atrás apenas do Chile, que possui salário médio de $995. A Colômbia e a Argentina têm salários médios inferiores, de $557 e $ 558, respectivamente. O México fica em $ 627.

O Chile, mais uma vez, tem o melhor acesso à tecnologia, onde se precisam de menos salários médios para adquirir os produtos avaliados, não só devido ao alto salário médio, conforme explica Henrique de Campos, consultor sênior da Marco Consultora: “A localização geográfica é privilegiada, próxima dos fabricantes do Pacífico, têm acordo de importação com países fabricantes e tributos vantajosos.”

A Argentina foi o país com o pior acesso à tecnologia, por ter o segundo menor salário médio e sua moeda, o peso, sofre depreciação contínua em relação ao dólar.

Preços mais altos.

Com relação aos preços dos produtos, também calculados em dólar, os praticados no Brasil são os mais altos da região. Um notebook aqui, por exemplo, tem preço médio de $1.434, enquanto na Colômbia, o mesmo notebook custa $931. Um All In One PC sai por $1.110 no Brasil e no México, por $808. Em todos os países, o produto mais caro é o notebook.

“Apesar dos maiores preços, é vantajoso comprar eletrônicos no Brasil: a diferença de valor entre comprar no exterior e adquirir aqui, é pequena se levarmos em conta a taxa de importação, o manual do produto, que não será em português e a assistência técnica, válida somente no país da compra”, analisa Campos.

  Atualmente, no Brasil, para comprar um PC é necessário investir 1,15 salário médio, 1,48 salário médio para um notebook, 0,73 salário médio para um netbook e 1,10 salário médio para um tablet. Na Argentina é preciso 1,9 salário médio para um All in One PC, 2,26 para um notebook, 2,05 para um netbook e 1,93 para um tablet. No Chile são precisos 1,12 para o All in One, 1,25 para notebooks, 0,48 para netbooks e 0,91 para tablets. Estes são os países com custos mais altos para adquirir estas máquinas.

Comparada à pesquisa de agosto/2010, foi registrado aumento do salário médio em todos os países ao longo dos últimos oito meses, subindo de $809 para $969 no Brasil, o equivalente a R$1.557- o maior valor médio já considerado no País nas pesquisas já feitas; de $451 para $558 na Argentina; de $745 para $995 no Chile; de $303 para $557 na Colômbia e de $561 para $627 no México.

Metodologia. Os dados dos salários médios foram obtidos com os institutos oficiais EPH do INDEC da Argentina, IBGE do Brasil, Instituto Nacional de Estatísticas do Chile, Planilla Integrada de Liquidación de Aportes da Colômbia e Instituto Mexicano de Seguro Social, depois convertidos em dólar.

Os preços dos computadores foram obtidos por meio das principais revendas de cada país. Para cada tipo de computador (com características similares) foram analisadas pelo menos cinco cotações diferentes e gerada uma média.        

veja também