MENU

Critérios de comparação de preços entre países são falhos, diz Roberto Lima

Critérios de comparação de preços entre países são falhos, diz Roberto Lima

Atualizado: Quinta-feira, 28 Outubro de 2010 as 9:09

O presidente da Vivo atesta que as vendas e a penetração da telefonia continuam aceleradas, apesar de as tarifas brasileiras serem as mais altas do mundo. No segundo dia de Futurecom 2010, o presidente da Vivo, Roberto Lima, iniciou sua palestra falando que “pensar em sociedade é pensar em um sistema biológico”. Para o executivo, na era da sociedade em rede, o desafio é estar atendo ao ambiente volátil e mudar com ele.

Lima explica que a rede de internet sofre evolução a cada dia, sendo que, das transmissões (broadcast), a rede evoluiu para massificação de audiência que, por sua vez, se transformou em intercasting: “Hoje em dia podemos postar informações, comentar matérias, vídeos, publicar vídeos e fotos, ou seja, interagimos com o mundo”, afirma. O executivo também exemplifica com as redes sociais, as quais são utilizadas, atualmente, também pelas corporações, pois se replicam notícias nestas comunidades.

Atualmente, segundo ele, o importante é a velocidade das transmissões dos dados, pois, cada vez mais, as pessoas querem informações e interatividade com o mundo. Lima afirma que as pessoas, tanto na vida pessoal como nas corporações, começam a se conectar umas às outras, compartilhando sonhos ou mesmo coisas, como músicas e vídeos. “Nós sentimos a sociedade em dimensões mais amplas”, ressalta.

Sobre as questões tributárias no Brasil, Lima afirma que os critérios de comparação de preços entre países são falhos, pois não consideram as promoções e os bônus oferecidos pelas operadoras do Brasil. Além disso, atesta que as vendas e penetração de telefonia continuam aceleradas, apesar de as tarifas brasileiras serem as mais caras do mundo.

A operadora, atualmente, é líder de cobertura de telefonia móvel e, recentemente, foi comprada pelo Grupo Telefônica.

Belterra

No Futurecom 2009, Lima afirmou que a empresa estava em operações com uma antena 3G em Belterra, na região amazônica do Pará. Em 27 de setembro o projeto foi inaugurado.

Segundo Lima, 11 meses depois, houve uma revolução da conectividade na região e Belterra já apresenta crescimento significativo. Como resultado, 74% dos comerciantes afirmam que aumentaram as suas vendas por conta da internet instalada; 43% dos estudantes atestam que começaram a realizar pesquisas pela web; 20% de pessoas se inscreveram em cursos a distância e 10% das pessoas começaram a freqüentar as bibliotecas digitais.

  Por Andressa Nascimento     FONTE: IPNEWS.COM.BR

veja também