MENU

Erro afeta chipset e não processador, diz Intel

Erro afeta chipset e não processador, diz Intel

Atualizado: Sexta-feira, 4 Fevereiro de 2011 as 11:56

 Em entrevista à INFO , a Intel afirmou que as falhas encontradas recentemente afetam somente sua linha de chipsets e que os novos processadores Sandy Bridge não possuem nenhum tipo de defeito. Os chips de suporte (chipsets) são um circuito integrado à placa-mãe, responsável por realizar a comunicação entre processador e componentes de um computador.     Já a nova linha de processadores da Intel, o Sandy Bridge, é a grande aposta da empresa em 2011. A segunda geração da família Core terá processador gráfico embarcado nos chips, o que, de acordo com a Intel, não exige a necessidade de adquirir uma placa gráfica.

No final de janeiro a empresa divulgou ter encontrado um erro de projeto em seu chip de suporte Cougar Point, codinome da linha recém lançada Intel 6 Series.

De acordo com a Intel, o problema pode ocorrer em 4 das 6 portas Serial-ATA (SATA) que com o tempo podem se degradar dentro do chipset, afetando o funcionamento de dispositivos ligados a essas portas, como disco rígidos e drives ópticos.

“Este chipset é utilizado em PCs com a segunda geração dos processadores Intel Core, codinome Sandy Bridge. Desktops e Notebooks que utilizam somente as portas SATA 0 e 1 não apresentam nenhum problema”, explica Cássio Tietê, diretor de marketing da Intel Brasil.

Segundo a empresa, o envio dos chipsets com erro aos fabricantes já foi cancelado e a Intel já iniciou o processo de correção do silício. E a produção de uma nova versão corrigida já foi iniciada.

Os chipsets afetados começaram a ser distribuídos no dia 9 de janeiro, nos EUA e em alguns outros países. No Brasil, estes produtos se encontravam em pré-venda, e a Intel acredita que um número muito pequeno chegou as mãos de alguns consumidores locais.

Embora não confirme quantos chipsets com defeito foram fabricados, a Intel confirmou já estar em contato com os fabricantes para iniciar a distribuição da correção até o final de fevereiro, com retorno da produção em massa prevista para começar em abril.

“Para os fabricantes de computadores e outros clientes da Intel que compraram chipsets ou sistemas potencialmente afetados, a Intel trabalhará com seus parceiros OEM para aceitar a devolução dos mesmos e apoiará as modificações ou substituições necessárias em placas-mãe ou sistemas”, afirma Tietê.

Algumas empresas, como Samsung e HP, já confirmaram que irão substituir ou reembolsar os consumidores que se sentirem lesados pelo problema.

Mas apesar da Intel afirmar que seus novos processadores não sofrem nenhum tipo de dano, as ações da empresa recuaram após o anúncio e sua receita deve sofrer um corte de U$S 300 milhões somente no primeiro trimestre.

O custo estimado para a reparação e substituição dos chipsets deve ficar em torno de U$S 700 milhões.    

veja também