MENU

Ex-funcionários da Foxconn na China são acusados de vazar design do iP

Ex-funcionários da Foxconn na China são acusados de vazar design do iP

Atualizado: Quinta-feira, 16 Junho de 2011 as 12:58

iPad 2 chegou à China em maio deste ano

(Foto: Peter Parks/AFP)

  Três pessoas foram condenadas à prisão na China por terem roubado informações sobre o desgin do iPad 2, informou nesta quinta-feira (16) o jornal local "Guangzhou Daily".

Os ex-funcionários foram acusados de terem ajudado um fabricante de acessórios a lançar capas para a segunda versão do tablet da Apple antes de o aparelho chegar ao mercado. Entre os detidos estão um ex-funcionário e um diretor da gigante de eletrônicos Foxconn.

Conforme o jornal, em julho de 2010, Xiao Chengsong, funcionário da companhia rival Maita Electronics, ofereceu cerca de US$ 3 mil ao ex-empregado da Foxconn Hou Pengna por informações sobre o iPad 2. Ele entrou em contato com Lin Kecheng (na época, subdiretor da Foxconn), que roubou e vendeu imagens digitais do tablet ao ex-funcionário, em setembro de 2010, seis meses antes do lançamento do aparelho.

Em seguida, a Maita começou a produzir em uma fábrica no sul da China capas para o iPad 2 antes que o aparelho chegasse ao mercado. Os acessórios foram, inclusive, apresentados em uma feira de tecnologia nos Estados Unidos.

Kecheng foi condenado a uma pena de 1 ano e 2 meses de prisão e terá que pagar uma multa de US$ 15,4 mil. Pengna terá que ficar 2 anos na prisão e pagar US$ 4,6 mil. O terceiro condenado, Chengsong, recebeu pena de 18 meses de prisão, além de uma multa de US$ 23 mil.

O iPad 2 foi lançado oficialmente na China em maio. Em 2010, surgiram versões piratas do iPad, chamadas "iPed", vendidas no mercado chinês a preços muito mais baixos que o original.          

veja também