MENU

Exigência para produzir tablets no país será 'pesada', diz Pimentel

Exigência para produzir tablets no país será 'pesada', diz Pimentel

Atualizado: Quinta-feira, 26 Maio de 2011 as 1:44

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Fernando Pimentel, disse nesta quinta-feira (26) que a exigência de conteúdo nacional para a produção de tablets no Brasil será “bem pesada e mais forte do que a que está hoje prevista para notebooks em geral”.

“Estamos divulgando a portaria que criou o PPB (Processo Produtivo Básico) dos tablets e a exigência de conteúdo nacional é bem pesada, bem forte, mais forte do que a que está hoje prevista para notebooks em geral. Aí, depende dos componentes. Mas para display, por exemplo, nós vamos exigir 50% de conteúdo nacional já a partir de 2012. É uma meta pesada que as empresas vão ter que perseguir”,afirmou.

O ministro participou de evento da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e centrais sindicais que visa discutir o futuro da indústria nacional.

Pimentel destacou que os juros altos prejudicam a indústria, mas que o real valorizado é consequência de um cenário internacional é não há como fugir da situação no momento.

“Não temos como sair desse cenário. O câmbio é problema que não tem solução no quadro de nossa mobilidade interna (...). Não vamos sair dessa situação em curto prazo”, afirmou.

Para buscar proteger a indústria e transformação brasileira, o ministro disse que são necessárias três medidas de curto prazo: uma defesa comercial ativa, a redução de encargos e tributos sobre a folha de pagamento e bens de capital e o financiamento e apoio à inovação.

Em relação à redução de encargos e tributos, o ministro adiantou que o governo fará medidas nesse sentido, ressaltando que não pode dar detalhes porque essa área é de responsabilidade do ministro da Fazenda, Guido Mantega. “Vai haver redução de encargos e tributos, não vai ser o meu ministério, mas acredito que na virada do primeiro para o segundo semestre, essas medidas estarão sendo anunciadas”, afirmou.        

veja também