MENU

Game contra muçulmanos é lançado em campanha eleitoral na Áustria

Game contra muçulmanos é lançado em campanha eleitoral na Áustria

Atualizado: Quinta-feira, 9 Setembro de 2010 as 4:20

A polícia austríaca está investigando um jogo de videogame que foi lançado pelo partido de extrema direita da Áustria, o mesmo de um dos políticos mais bem-sucedidos do país, Jörg Haider, que morreu em um acidente, em 2008. No game, os jogadores devem parar a construção de mesquitas.

Membros do Partido Liberal da Áustria lançaram o game antimuçulmano como parte de uma campanha política no estado de Styria, no sudeste do país, onde as eleições parlamentares acontecerão no final de setembro. No game, os jogadores precisam parar a construção de minaretes (pequenas torres de onde se anuncia a hora das orações) e mesquitas, usando um sinal de “parar”. Se o jogador não conseguir impedir a construção, um muçulmano barbudo chama todos para rezarem de frente a uma montanha de neve, em uma paisagem típica da Áustria.

No final do jogo, chamado “Tchau Tchau Mesquista” (tradução livre), que está disponível on-line desde a última segunda-feira (6), uma mensagem aparece: “Styria está cheia de minaretes e mesquitas. Por isso, vote em Dr. Gerhard Kurzmann e no Partido Liberal da Áustria no dia 26 de setembro para que isso não aconteça mais”.

Imigração

Membros do Partido Verde apresentaram uma reclamação legal contra o jogo. Porém, Kurzmann se manteve indiferente, dizendo que o game tem a intenção de conscientizar os eleitores jovens sobre o suposto problema das mesquistas.

O debate sobre a imigração na Alemanha fracassou, na semana passada, com a publicação do último livro do executivo do Banco Central alemão Thilo Sarrazin, no qual ele destila opiniões contra os imigrantes muçulmanos e diz que os judeus têm todos “o mesmo gene”.

Em uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira (8), Kurzmann disse que estão todos fazendo “uma tempestade em um copo d'água". O político citou, ainda, a polêmica na Alemanha.

“Nós preferimos ter um Sarrazin do que um muezim (religioso das mesquitas, que fazem o chamado para que as pessoas façam orações)”, disse.

Nesta quinta-feira (9), o Ministério Público da cidade de Graz, capital de Styria, divulgou um comunicado dizendo que já abriu investigações sobre o jogo. Depreciação contra algum ensinamento religioso é considerado crime na Áustria. O jogo é, na verdade, um reciclado de uma campanha realizada na Suíça, em 2009, em um referendo que queria proibir a construção de minaretes no país.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também