MENU

'Gears of War 3' traz tiroteios com mais ação e experiência de filme

'Gears of War 3' traz tiroteios com mais ação e experiência de filme

Atualizado: Quarta-feira, 21 Setembro de 2011 as 3:18

Plataforma: Xbox 360

Produção: Microsoft Game Studios

Desenvolvimento: Epic Games

Distribuição no Brasil: Microsoft

Gênero: Ação/tiro em terceira pessoa

Jogadores: 1 a 4 (on-line, no modo história)

Lançamento: 20 de setembro

Preço sugerido: R$ 130; veja onde comprar o game

Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 18 anos

Nota: 9,0* "Gears of War 3" não foi feito para jogadores fracos. A terceira parte da franquia exclusiva do Xbox 360 lançada em 2006 traz combates ainda mais sangrentos, inimigos mais espertos e um grande arsenal de armas para o jogador encerrar a guerra pela sobrevivência da humanidade. O que não falta no desfecho da trilogia é ação, explosões e vísceras voando pelos ares.

Embora neste quesito o game tenha se mantido fiel aos dois títulos anteriores, a primeira mudança vista em "Gears os War "3 está no visual, com mais detalhes e personagens mais convincentes e melhor animados. Nada mais justo já que, para fechar o arco do roteiro de três jogos o número de diálogos esteja maior, com direito a bate-papo entre um e outro confronto.

'Gears of War 3' abusa de efeitos de luz e de fumaça para criar uma experiência

cinematográfica no game (Foto: Divulgação)

  Além do maior nível de detalhes dos personagens, os cenários estão mais convincentes, apresentando uma escala maior,  belos efeitos de luz e de fumaça – mostrando que o Xbox 360 ainda dá um caldo quando os dois primeiros títulos são comparados com a nova versão. A experiência visual como um todo lembra um filme, com a câmera se movendo freneticamente em um tiroteio, com monstros gigantes ocupando a tela inteira, inimigos explodindo e fazendo o cenário se mover, chegando até a atrapalhar, propositalmente, o jogador em alguns instantes.

 Os cenários destrutíveis dão um toque a mais de realismo. Logo no início do jogo, quando ocorre um combate em um navio, a embarcação é lentamente destruída pelo monstro. Quando os Lambent morrem, e explodem, uma gosma amarelada voa para todos os lados e pode até grudar na tela. Os Locust, inimigos clássicos da série, agora surgem do chão como chafarizes, levantando poeira e dando sustos nos mais desavisados. Quanto mais o game se encaminha para o seu final, melhor fica. O som do game merece destaque. Quem possui um aparelho de som ou um home theater conectado no console deve usar este recurso para ouvir todo o trabalho da equipe de desenvolvimento com o barulho dos tiros em diferentes armas, com as balas passando próximos da cabeça do personagem principal, Marcus Fenix, da motosserra do rifle Lancer cortando as entranhas dos Locust e até da explosão de um Lambent gigante que ensurdece a sala.

Inimigos estão mais inteligentes, aumentando a dificuldade dos combates.

Mas os soldados que acompanham o jogador ajudam nos confrontos (Foto: Divulgação)

  Mais difícil, mais divertido

Em relação ao esquema de jogo, poucas mudanças foram feitas pela Epic Games. Para pegar munição espalhada pelo cenário, por exemplo, agora é necessário pressionar "X" por alguns segundos, ação que ocorria instantaneamente nos games anteriores, por exemplo. Por outro lado, o refinamento do sistema de mira e de cobertura permitem ataques mais precisos, independentemente da arma e do seu "coice" após os disparos.     Já os inimigos estão mais inteligentes – independentemente do nível de dificuldade do jogo escolhido –, procurando cobertura atrás de muretas ou caixas e sempre atacando em grupos. Diferentemente do primeiro "Gears", não funciona mais ficar parado no mesmo lugar esperando o adversário levantar para atirar e, assim, contra-atacar. É necessário se mover e procurar o melhor local para evitar os tiros e conseguir atingir o inimigo. Uma boa opção é conseguir dar a volta por onde eles estão, pegando-os desprevenidos e usando a motosserra da Lancer ou uma granada para eliminar todos ao mesmo tempo, por exemplo. Os companheiros de Fenix auxiliam o jogador, atacando e matando inimigos, o que ajuda bastante em momentos mais críticos. Eles também ressuscitam Fenix quando ele está ferido, adiando bastante a tela de game over. Entretanto, caso seja atingido quando se está ferido, será necessário recomeçar a fase desde o último checkpoint.

Há menos munição espalhada pelos cenários, o que obriga o jogador a utilizar outras armas que podem ser pegas após matar os inimigos, como a Retro Lancer, que em vez de uma motosserra possui um facão na ponta, ou a Hammerbust, que dispara um tipo por vez, mas é mais poderosa e permite mirar em inimigos mais afastados. Entre as mais de 20 opções de metralhadores, rifles, pistolas e granadas, o destaque é a Digger Launcher, que lança uma granada por debaixo da terra que salta para fora no momento da explosão, diretamente na cara do inimigo. Armas grandes como a One Shot, que elimina os inimigos com um único tiro, e a metralhadora Mulcher são fortes, mas deixam o personagem mais lento. Vale lembrar que cada um destes armamentos possui uma execução diferente e, ao realizar todas elas, ganha-se uma Conquista.

Por mais que "Gears 3" tragar novidades, ele também traz alguns dos problemas dos games anteriores. Uma delas é a repetitividade dos confrontos. Mesmo com o game fluindo bem, o jogador faz, por repetidas vezes, o mesmo ato: correr, se proteger atrás de algo, mirar e atirar, recarregar (acertando o timing deste movimento) e atacando de novo. Do início ao final do jogo, as ações são as mesmas, o que pode fazer algumas pessoas cansarem e desligarem o videogame por algumas horas. Alguns bugs, como armas e personagens que atravessam caixas e paredes destoam em meio a gráficos tão bem feitos, mas não chegam a comprometer a experiência.

Com momentos épicos em cada fase, em que uma delas é possível usar uma espécie de armadura robótica para enfrentar um inimigo gigantes e com confrontos contra chefes de fase, "Gears of War 3" consegue elevar o gênero de ação em terceira pessoa para outro patamar, atendendo as expectativas de um dos jogos mais aguardados pelos donos do Xbox 360. Vendido no Brasil por R$ 130 e com legendas em português, o game pode ser terminado em cerca de 20 horas. Mas o modo on-line recheado de conteúdo e a possibilidade de jogar com até quatro amigos cooperativamente para terminar a história, "Gears 3" manterá seus fãs ocupados pelo menos até o próximo blockbuster do Xbox 360 chegar às lojas.          

veja também