MENU

Grupo que atacou site da presidência nega motivação política

Grupo que atacou site da presidência nega motivação política

Atualizado: Terça-feira, 4 Janeiro de 2011 as 4:38

“Não somos nenhum grupo racista, nem terrorista, sabe que mídia tudo aumenta.” A declaração foi feita ao UOL Tecnologia pelos integrantes do grupo Fatal Error Crew, que assumiu ter atacado o site da Presidência da República no último sábado (1), no dia da posse de Dilma Rousseff.

O grupo de “crackers”, como eles mesmos se definem, tinha como intenção mostrar que os servidores utilizados pelo governo são falhos. O Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), numa nota divulgada à imprensa, confirmou o ataque na segunda (3), mas ressaltou que “os dados do governo mantiveram-se seguros, sem qualquer invasão ou dano do site ou da sua base de dados”.

Composto por dois integrantes, que se identificam apenas pelos apelidos de Elemento_pcx e s4r4d0, o grupo afirmou ao UOL Tecnologia que não teme punições em razão dos ataques do último sábado. “As leis no Brasil ainda não foram adequadas aos crimes digitais, por isso não temos medo e resolvemos anunciar o ataque”, explicou.

O site da Presidência sofreu um ataque DDOs, ou de negação de serviço, que utiliza máquinas zumbis (controladas remotamente) para acessar um recurso de um servidor ao mesmo tempo. Essa sobrecarga de requisições num mesmo link faz com que ele pare de atendê-las, provocando a indisponibilidade do serviço.

Esse mesmo tipo de ataque foi usado recentemente pelo grupo de ativistas digitais, Anonymus, para derrubar os sites da Mastercard, Visa e PayPal, depois de eles terem cortado serviços ao Wikileaks. Outro ataque DDoS derrubou o 4chan, fórum que não guarda histórico das mensagens e permite compartilhamento de qualquer tipo de conteúdo, no final de dezembro do ano passado.

Além de derrubar o acesso a sites, o Fatal Error Crew afirma realizar “defacements”, como é chamada a prática de desfigurar páginas de internet. Todos os ataques desde a criação do grupo estão listados no portal zone-h.org.

Veja abaixo a entrevista concedida por e-mail ao UOL Tecnologia:

UOL Tecnologia – Qual foi o objetivo do ataque ao site da presidência?

Fatal Error Crew – Mostrar que os servidores do governo brasileiro são falhos.

UOL Tecnologia – Sites têm chamado o Fatal Error Crew de “grupo” hacker. Isso é correto? Como vocês se definem?

Fatal Error Crew – Na verdade somos crackers, por realizar ataques de negação de serviço, cometer milhares de defacements (desfigurar páginas da web) desde que o grupo surgiu. Mas temos também algumas atitudes de hackers como, por exemplo, publicar falhas de seguranças.

UOL Tecnologia – Quantas pessoas fazem parte do grupo? De onde vocês se conhecem?

Fatal Error Crew – Atualmente somos dois, Elemento_pcx e s4r4d0, isso já há alguns anos, mas passaram várias pessoas pelo grupo. Há vários anos nos conhecemos na internet.

UOL Tecnologia – São ligados a algum partido? Tem alguma posição ideológica?

Fatal Error Crew – Não somos ligados a nenhum partido e não temos posição ideológica.

UOL Tecnologia – Confirmam que utilizaram um ataque DDoS? Qual foi o grau de dificuldade da operação?

Fatal Error Crew – Sim fizemos um DDOS, em português conhecido como ataque de negação de serviço distribuído. Para tal feito é necessário ter acesso a vários servidores ou computadores. A partir de um servidor invadido, nós controlamos os outros servidores e assim ordenamos que os nossos ataquem um alvo, enviando pacotes até sobrecarregar o alvo, deixando-o fora do ar.

UOL Tecnologia – Vocês anunciaram o ataque ao Portal Brasil. Ele teve sucesso?

Fatal Error Crew – No portal Brasil fizemos um teste, ficamos indignados com resposta  do Serviço Federal de Processamento de Dados, dizendo que o problema era falha técnica. Então resolvemos ver se o Portal Brasil "caía" também [risos].

UOL Tecnologia – Além dos recentes ataques, também derrubaram o portal da RedeTV e R7. Por que escolheram esses sites?

Fatal Error Crew – Porque são mídias de péssima qualidade, tanto na programação como nas configurações de seus servidores.

UOL Tecnologia – Temem represálias ou punições em razão do último ataque?

Fatal Error Crew – Não. As leis no Brasil ainda não foram adequadas aos crimes digitais, por isso não temos medo e resolvemos anunciar o ataque.

UOL Tecnologia – Colaboram com outros grupos ativistas digitais (como Anonymus)

Fatal Error Crew – Não.

UOL Tecnologia – Já existe um “próximo alvo”?

Fatal Error Crew – Aguardem... [risos].

Por Ana Ikeda

veja também