MENU

Inquérito na PF irá investigar ataque contra site da Presidência

Inquérito na PF irá investigar ataque contra site da Presidência

Atualizado: Terça-feira, 4 Janeiro de 2011 as 3:44

A assessoria de imprensa do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) informou nesta terça-feira (4) que um inquérito será instaurado na Polícia Federal para verificar se é possível identificar os responsáveis pelo ataque contra o site oficial da Presidência da República no domingo (2) e quais medidas podem ser tomadas contra eles.

“Em toda tentativa de bloqueio na segurança da Presidência, é padrão do órgão e da Polícia Federal investigar quem são os responsáveis”, explica Carlos Marcos Torres, gerente da assessoria de imprensa do Serpro.

O departamento de comunicação da Polícia Federal confirmou que o órgão está recebendo os documentos do Serpro referentes à segurança do site da Presidência e que, assim que o recebimento for concluído e formalizado, o inquérito será aberto.

Segundo Torres, o Serpro já criou uma estratégia de bloqueio ao ataque de "negação de serviço" utilizado pelo grupo e que o órgão já tomou medidas para prevenir que esse tipo de ofensiva aconteça no futuro.

Na segunda-feira, o Serpro confirmou, após análise técnica, que o site da Presidência sofreu ação de hackers na tarde de domingo (2).

“O Serviço Federal de Processamento de Dados confirma que no domingo, dia 2 de janeiro de 2011, houve uma sobrecarga de acessos provocada intencionalmente nos sites presidência.gov e brasil.gov, que tornou os endereços instáveis por algumas horas”, diz nota divulgada pelo Serpro. Quem tentou acessar os sites no domingo teve dificuldades para abrir a página por causa da lentidão de download.

Na nota divulgada, o Serpro destacou que “todos os dados protegidos do governo brasileiro mantiveram-se seguros, sem qualquer invasão ou dano dos sites ou das suas bases de dados". A equipe técnica do órgão “estabilizou” o site às 21h30 de domingo. De acordo com o Serpro, o site da Presidência tem capacidade para suportar até 4,5 mil acessos simultâneos.

veja também