MENU

iPad faz um ano e domina mercado mundial de tablets

iPad faz um ano e domina mercado mundial de tablets

Atualizado: Quinta-feira, 27 Janeiro de 2011 as 2:05

O iPad, tablet da Apple, completa seu primeiro ano hoje. Em 27 de janeiro de 2010, Steve Jobs, CEO da Apple, o apresentou pela primeira vez. Na época, ele classificou o aparelho como um meio-termo entre smartphone e notebook. Na verdade, estava criando uma nova categoria de computadores. Um ano depois, as vendas do tablet superaram, em muito, as previsões dos analistas. Só em 2010, de acordo com a consultoria IDC, o as vendas de tablets devem chegar a 17 milhões de unidades em 2010 – as vendas do iPad correspondem a 90% do total.     “Os tablets chegaram em um momento para melhorar a experiência de navegação e de vídeo do usuário. Eles criaram um novo nicho de mercado”, diz Elia San Miguel, analista de telecomunicações do Gartner. Segundo ela, os latino-americanos compraram cerca de 100 mil tablets durante o ano passado. “Nessa conta estão só os dispositivos comercializados na região. Muitos usuários trazem o produto de outros países.” A Apple só começou a vender o iPad no Brasil a partir do início de dezembro.

Segundo dados do IDC, a Apple vendeu 4,2 milhões de iPads somente no terceiro trimestre de 2010, o que lhe rendeu cerca de 83% de participação no mercado mundial de tablets. A estimativa da consultoria é de que, no futuro, os números deste novo mercado sejam ainda mais impressionantes: em 2011, devem ser vendidos 44,6 milhões de tablets e, em 2012, 70,8 milhões. O motivo, dizem os analistas do IDC, é a chegada de novos rivais do iPad no mercado.

Rivais potentes O iPad estava no mercado há poucos meses, mas a promessa de um novo mercado bastante promissor chamou a atenção de outros grandes fabricantes de computadores e celulares. A Samsung foi a primeira a lançar um concorrente, o Galaxy Tab, com tela de sete polegadas e sistema operacional Android 2.2. No Brasil, o aparelho chegou mais cedo que o iPad, porém com preço mais alto. Por enquanto, esses dois modelos são as únicas opções disponíveis no País.

Outros fabricantes também prepararam seus tablets, mas lançaram os produtos durante a Consumer Electronics Show 2011, realizada no início de janeiro, em Las Vegas (EUA). A organização estima que foram apresentados mais de 100 modelos. Entre os maiores fabricantes, a Dell lançou o Streak 7, a Motorola anunciou o Xoom, e a Research in Motion demonstrou o PlayBook. “Os fabricantes colocaram chips com mais capacidade de processamento para o dispositivo executar várias tarefas ao mesmo tempo”, diz San Miguel, do Gartner. A maioria dos dispositivos lançados é equipada com chips de dois núcleos.

Segundo a analista do Gartner, a maior feira de eletrônicos confirma a tendência de que os tablets devem roubar mais mercado dos netbooks e notebooks do que dos smartphones. “Mas, como nos celulares, o que continua determinando a escolha dos consumidores é a quantidade e qualidade de aplicativos disponíveis.”

A reação da Apple A maioria dos tablets lançados na CES 2011 deve chegar às lojas ainda este ano, o que pode ameaçar o reinado do iPad. Contudo, segundo rumores, a Apple já se prepara para reagir: em poucos meses, deve lançar uma nova versão do tablet.

Entre os novos recursos, o "iPad 2" terá tela com a tecnologia Retina Display, mesma utilizada no iPhone 4, além de uma nova versão do chip A4, que terá mais capacidade para processar vídeos e gráficos avançados, como os utilizados em aplicativos de games. O tablet também deve ganhar entrada para cartão SD, até então inexistente nos dispositivos móveis fabricados pela Apple. “O iPad já se consagrou entre os tablets de tela maior”, diz San Miguel, do Gartner. Contudo, o recente pedido de licença de Jobs, por motivos de saúde, pode atrasar o lançamento do novo iPad.

Para continuar na liderança do mercado, o iPad também contará com a ajuda do “The Daily”, primeira publicação diária exclusiva para tablets. Desenvolvida pela News Corp em parceria com a Apple, a publicação inaugurará um novo recurso do sistema operacional iOS 4.3, que permite assinar conteúdo. Segundo a News Corp, o usuário do iPad pagará US$ 0,99 por semana para receber todo dia uma nova edição atualizada do jornal digital. A publicação deve ser lançada em duas semanas.    

veja também