MENU

Lan house é a principal forma de acesso à internet

Lan house é a principal forma de acesso à internet

Atualizado: Sexta-feira, 21 Agosto de 2009 as 12

No mundo tomado pela tecnologia, as lan houses são os locais de onde a maioria dos internautas se conectam à grande rede. Os estabelecimentos reúnem, principalmente, jovens e adolescentes

Para quem ainda não possui computador pessoal ou esteja provisoriamente sem acesso à rede, a saída pode estar na esquina de casa. Principal forma de acesso à Internet dos brasileiros, as lan houses são alternativas que ajudam na inclusão digital e contribuem para que o uso da tecnologia seja disseminado entre a população. Os locais são verdadeiros pontos de encontro de jovens e adolescentes. Além do acesso à Internet, também é possível imprimir documentos e parte do orçamento de muitos é deixada por lá.

Pesquisa divulgada pelo Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (Cetic.br) mostrou que 49% dos internautas acessam a rede mundial em locais públicos pagos. O levantamento ainda apontou que 40% usam em casa, 24% no trabalho e 24% na casa de outra pessoa.

De acordo com os dados, entre os frequentadores, 78% têm renda familiar de até um salário mínimo. No segmento com renda superior a cinco salários, o uso do local diminui para 30%. O supervisor técnico do Dieese Ceará, Reginaldo Aguiar, ressalta a importância destes estabelecimentos. ''Em toda favela se vê uma loja dessas. Na minha opinião, as lan houses estão conseguindo o que as escolas não conseguiram. Os jovens estão escrevendo, mesmo que de uma maneira diferente, mas estão exercitando a escrita'', disse.

Segundo dados do diretor de Tecnologia da Informação (TI) da Junta Comercial do Estado do Ceará (Jucec), Marcelo Reis de Andrade, durante os últimos seis anos, o melhor momento ocorreu em 2005, quando 456 empresas com o perfil de lan house foram constituídas, contra 27 extinções. Em 2009, este número ainda é positivo, mas em menor intensidade. Até agosto, foram 69 aberturas e 31 negócios extintos.

O proprietário de uma lan house no Montese, Pedro Henrique Soares, diz que cada frequentador gasta, em média, R$ 50 mensais. ''Faturamos R$ 3,5 mil no mês e, por estarmos perto da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), temos muita demanda'', disse.

A loja de Soares comporta 13 computadores e recebe cerca de 500 pessoas por mês. De acordo com o proprietário, em relação ao acesso à grande rede, quem mais procura são os adolescentes. ''Eles vêm em busca de jogos e sites de relacionamento'', conta.

Um desses usuários, o estudante Anderson Alves, de 16 anos, diz que procura sempre o local e gasta em torno de R$ 30 por mês. Além de jogar e usar a Internet como diversão, ele também utiliza para fazer pesquisas escolares. Mas parece que em breve vai deixar de ser cliente. “Minha família pensa em comprar um computador no ano que vem”, comemora.

veja também