MENU

Máquinas high-tech permitem que produtor cuide da lavoura pela web

Máquinas high-tech permitem que produtor cuide da lavoura pela web

Atualizado: Terça-feira, 3 Maio de 2011 as 2:11

As novas tecnologias da agricultura de precisão estão chegando com mais rapidez às lavouras brasileiras, e o monitoramento da produção das lavouras já pode ser feito à distância, sem que o agricultor tenha de estar no campo. Ao acessar a internet, de qualquer lugar do mundo, o produtor tem condições de supervisionar todas as etapas do plantio, bem como adotar práticas que melhoram a performance das máquinas e reduzem o custo de manejo das terras.

Niumar Aurélio, coordenador de maketing da Massey Ferguson, mostra, em tela ampliada, o que o produtor que utiliza a telemetria consegue ver, de um computador ou mesmo de um celular com acesso à intermet. (Foto: Anay Cury/G1)

  A telemetria, como é chamado o sistema que permite a transferência automática de dados sobre a produção ao produtor que contrata o serviço, chega a custar perto de R$ 9 mil e hoje é oferecida pela Massey Fergusson, líder no mercado brasileiro de tratores. A tecnologia AGCommand foi apresentada durante a 18ª edição da Agrishow, maior feira agrícola do país, que teve início nesta segunda-feira (2) e se estende até sexta (6).

A proposta do produto, que começa agora a ser conhecido pelos produtores, além de consistir no gerenciamento das lavouras – o maquinário indica onde está, se está parado e, nesse caso, há quanto tempo -, é gerar relatórios online com dados sobre a produtividade do terreno. A cada 60 segundos, o sistema capta as informações e, de 15 em 15 minutos, o site é alimentado via GPRS (tecnologia de transmissão de dados).

Monitor de agricultura de precisão da New Holland. Produtor pode configurar diferentes perfis de uso, dependendo de

quem vai operar a máquina no dia. (Foto: Anay Cury/G1)

  “A gente percebe que o perfil do produtor está diferente. Vejo nossos clientes usando internet no celular, Twitter...Tinha que ser lançado um produto para essas pessoas. Oferecemos a telemetria embutida em algumas máquinas, mas também vendemos separadamente", disse o coordenador de marketing da área de solução em tecnologia avançada da Massey, Niumar Aurélio. Quem contrata a tecnologia tem de pagar taxa para a empresa apenas após três anos.

A Valtra, empresa de tratores com maior inserção no setor canavieiro, também oferece a mesma tecnologia de transmissão de dados pela internet. No estande da Agrishow, o visitante encontra novidades que permitem incrementar os processos produtivos nas lavouras, “sem sair do escritório”, como se refere a empresa sobre uma das principais vantagens do serviço.   “Para nós, o importante não é apenas disponibilizar um produto, mas ter uma solução completa para o processo produtivo”, disse o coordenador de marketing de produtos de ATS (tecnologias avançadas) da Valtra, Rafael Costa.

Durante a Agrishow, a John Deere apresenta, entre seus lançamentos, dois modelos de colhedoras que contam com computador de bordo como item de linha. “O computador Auteq oferece a oportunidade de monitorar no escritório os dados de trabalho do equipamento em tempo real”, disse a empresa, por meio de nota.

Mais precisamente

A agricultura de precisão ainda conta com tecnologias como a da New Holland que, embora ainda não tenha adotado a telemetria, possui soluções para aumentar a eficiência da produção. O equipamento Barra de Luz EZ-Guide, por exemplo, permite que o produtor oriente suas atividades no preparo do solo, no plantio e na pulverização, independentemente do porte da lavoura.

Tecnologia de telemetria mostrada no monitor de TV à esquerda e monitor de plantio ao centro. (Foto: Anay Cury/G1)

O equipamento orienta o operador da máquina, por meio de satélite, a manter-se sempre na trajetória planejada. Há luzes no painel do monitor que mostram ao operador quando o trator desvia à direita ou à esquerda de sua rota, evitando, assim, qualquer desperdício. O sistema completo, que inclui outras tecnologias e pode ser usada em forrageiras, tratores e colheitadoras, chegar a custar R$ 35 mil, segundo a empresa.  

“A procura por esse serviço está aumentando muito a cada ano. A telemetria, por exemplo, ainda não oferecemos no Brasil, mas é uma tendência”, disse o coordenador de vendas de agricultura de precisão da New Holland, Jorge Strina.

Com a proposta de integrar todas as atividades da lavoura, a Stara, indústria de implementos agrícolas da cidade de Não-Me-Toque (RS), levou à feira o Topper 4500, que reúne todas as práticas de agricultura de precisão em um único equipamento.

“É a primeira vez que mostramos na Agrishow, mas exibimos em outras feiras anteriores neste início de ano. Já temos 700 dessas máquinas em operação tanto no Brasil quanto no Paraguai, Argentina, Venezuela e Uruguai”, disse Renan Ambrósio, da área de manejo avançado da Stara. O produto custa perto de R$ 30 mil.

veja também