MENU

Microsoft corre atrás do tempo perdido com o Windows Phone 7

Microsoft corre atrás do tempo perdido com o Windows Phone 7

Atualizado: Terça-feira, 1 Junho de 2010 as 2:50

A Microsoft resolveu mudar as coisas e anunciou, semana passada, algumas importantes saídas de sua área de Entretenimento e Dispositivos , além da reorganização do mesmo setor. Agora, o próprio CEO da empresa, Steve Ballmer, controla diretamente os rumos. Em se tratando de smartphones corporativos, o Windows Phone 7 pode se tornar a plataforma ideal, mas, talvez, a Microsoft esteja entregando muito pouco, e tarde demais.

A empresa é onipresente no mercado de computadores empresariais. A maioria esmagadora das organizações conta com o Windows como sistema operacional para seus servidores, o Microsoft Exchange como plataforma para mensagens e o Office como suíte de produtividade.

A Microsoft está presente em mais áreas, e controla grande parte delas. Mas, em relação aos smatphones, a companhia fica devendo. De algum forma, abriu mão desse mercado, relegando-o à RIM e seu BlackBerry OS.

O problema é que a gigante dos softwares enxerga os celulares inteligente da mesma forma que pensa os desktops. O Windows Mobile funciona como se fosse um notebook menor e aplica os mesmo princípios que existem no Windows em sua versão para computadores de mesa.

O que a Microsoft aprendeu a duras penas, e que a RIM está descobrindo agora, é que a mobilidade requer uma atitude diferente. Smartphones e tablets se relacionam intimamente com os computadores tradicionais, mas precisam de inovações a fim de manter a conexão com seu principal atributo: a mobilidade.

O principal papel dos smartphones é permitir ao profissional permanecer conectado em qualquer lugar e a qualquer momento. Executivos querem acessar seus emails, mensagens instantâneas e a própria internet - tudo na palma na mão. Querem abrir e editar documentos e conduzir seus negócios a partir de seus dispositivos móveis quando for necessário, mas isso não significa que o ideal é ter um Windows de bolso.

Ainda assim, para um administrador de TI, a Microsoft seria uma escolha natural como plataforma para smartphones. Desejam gerenciá-los, controlá-los e protegê-los remotamente a partir de uma central. O Active Directory oferece uma poderosa ferramenta para esse objetivo, mas a Microsoft deixou que a RIM assumisse a liderança com seu BlackBerry Enterprise Server (BES).

A Apple revolucionou o mercado de smartphones com o iPhone. O Android OS , da Google, surgiu como uma alternativa competitiva para profissionais que querem mais controle sobre seu aparelho ou não querem depender da AT&T como provedora de rede wireless. Enquanto estas duas encontram-se em uma disputa acirrada, a RIM e a Microsoft estão brincando com o tempo.

Pelo o que foi revelado, o Windows Phone 7 impressiona. Se fosse lançado dois anos atrás, inovaria a ponto de alterar as perspectivas do setor. No entanto, agora que finalmente estará disponível, enfrentará forte concorrência apenas para se tornar relevante.

A Microsoft, devido ao seu absoluto controle sobre os softwares para computadores, deveria estar guiando, também, o mercado de smartphones. Agora, o tempo passou e não importa o quão especial seja o Windows Phone 7, as coisas mudaram.

veja também