MENU

Microsoft usa 'estilo Google' para salvar navegador Internet Explorer

Microsoft usa 'estilo Google' para salvar navegador Internet Explorer

Atualizado: Quarta-feira, 15 Setembro de 2010 as 3:39

A Microsoft anunciou nesta quarta-feira (15) chegada da versão beta da nova versão do navegador Internet Explorer. O IE 9 traz como atrativos um novo visual, com abas menores e adaptadas para a interface do Windows 7, compatibilidade com o novo padrão HTML5 e sistema que permite utilizar o potencial de processamento do computador para exibir sites e rodar programas na nuvem.

O programa é compatível com Windows 7 e Vista, mas não funciona com Windows XP. É possível baixar o software, disponível gratuitamente, no Baixatudo .

O estilo “clean” abandona a interface congestionada e cheia de botões usada nas versões anteriores, e adota um estilo mais próximo do Google Chrome. O Chrome lançado em 2008, já capturou 7% do mercado de navegadores. A Microsoft, por sua vez, chegou perto de ter 95% da fatia no início dos anos 90, mas viu 4 em cada 10 usuários migrar para os concorrentes como o Firefox e o próprio Chrome. Para recuperar o status de liderança, a empresa fundada por Bill Gates decidiu aproveitar o fato de ser líder entre os sistemas operacionais – o Windows é quase onipresente, e não sente a ameaça do Linux e da Apple no mercado de desktops e notebooks para o usuário final. O novo IE 9 permite que os sites, por meio da integração melhor com o Windows 7, utilizem o poder da placa de video e dos processadores com mais de um núcleo presentes nos micros atuais.

Segundo a companhia, os browsers atuais usam cerca de 10% da capacidade de processamento dos computadores modernos. Assim como o Chrome, que já traz aceleramento por placa de video desde a sexta versão, o novo IE 9 permitirá que os sites se aproximem dos programas nativos, instalados na máquina. Com o crescimento dos chamados aplicativos na nuvem, armazenados em servidores na internet, a mudança faz sentido para o consumidor final. A Microsoft também tentou resolver uma das principais reclamações dos usuários do Internet Explorer: as constants situações de “travamento” durante a navegação. Como no Chrome – e no novo Firefox 4 -, cada aba é executada em um processo diferente na máquina. Assim, se um site executar uma operação irregular, sera necessário fechar apenas uma aba, e não todo o navegador. As exensões também rodam separadamente.

No geral, a mudança também aumenta a segurança do navegador. Boa parte dos cerca de 40% dos usuários que desde 2004 deixaram o Internet Explorer para um navegador da concorrência foi impulsionada pelo excesso de softwares nocivos que se aproveitavam de falhas nas versões anteriores do IE.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também