MENU

Na AL, videoconferência cresce mais de 20% ao ano até 2017

Na AL, videoconferência cresce mais de 20% ao ano até 2017

Atualizado: Sexta-feira, 25 Março de 2011 as 1:58

O mercado de videoconferência na América Latina gerou receita de US$ 78,0 milhões durante 2010. Com uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 20,9% entre 2010-2017, esse número deverá alcançar US$ 294 milhões, segundo a Frost & Sullivan.

O crescimento acontece devido à globalização, aos benefícios de produtividade, mobilidade e à necessidade de economizar custos de viagem. As aquisições feitas ao longo de 2009 foram consolidadas em 2010, fazendo com que os três principais players juntos representem mais de 85% do mercado total em 2010.

Apesar da concentração da indústria, os preços devem diminuir a médio prazo, principalmente pelo fato das tecnologias de videoconferência se tornarem mais acessíveis.

Este mercado conta com três segmentos principais: terminais, telepresença e infra-estrutura. Os terminais representam cerca de 65% das receitas totais. No entanto, a telepresença vem registrando maior crescimento no mercado latino-americano, com um CAGR estimado de 27,1% entre 2010-2017. Por outro lado, é provável que a demanda por salas de conferência e sistemas desktop executivo cresça entre pequenas e médias empresas, que constituem um mercado pouco explorado.

Embora o espectro de serviços de videoconferência esteja expandindo na América Latina, os fornecedores enfrentam muitos desafios com todas as alterações nas linhas de produto e com o crescente número de ofertas. "É extremamente importante que os fornecedores entendam que as soluções devem ser posicionadas para cada segmento na América Latina. Além disso, é preciso aprender a adaptar as soluções e o tipo de oferta apresentada aos clientes, com base em suas necessidades, tais como a integração com outros aplicativos e equipamentos já existentes, além da capacidade de expandir soluções como uma opção modular", avalia Rodrigo Lima, analista de mercado da Frost & Sullivan.    

veja também