MENU

Nokia define estrutura e novos líderes

Nokia define estrutura e novos líderes

Atualizado: Sexta-feira, 11 Fevereiro de 2011 as 11:54

A Nokia afirma esperar vender cerca de 150 milhões de aparelhos Symbian ao longo dos próximos anos Ainda como parte da nova estratégia, o MeeGo torna-se um projeto de sistema operacional móvel aberto, cujo foco será a exploração do mercado no longo prazo, como aparelhos, plataformas e experiência do usuário inovadores. A Nokia diz que pretende lançar um produto baseado em MeeGo até o fim deste ano.

Metas e previsões

A Nokia visa a um crescimento atraente nas receitas da indústria de aparelhos móveis em 2011 e no longo prazo, motivado pela crescente adoção de smartphones por consumidores no mundo todo e pela expansão da demanda de aparelhos móveis e serviços, especialmente nos mercados emergentes.

No longo prazo, espera que as margens brutas da indústria de aparelhos móveis sejam pressionadas pela competição intensa neste setor.

Por conta das novas diretrizes estratégica da Nokia anuniadas a partir de hoje, as perspectivas da companhia ao longo de 2011, para a unidade de Devices & Services, estão sujeitas a indefinições significativas, esclarece a empresa, afirmando não ser apropriado, neste momento, definir uma meta anual para este ano.

Apesar disso, a Nokia espera continuar provendo previsões trimestrais de curto prazo para indicar o progresso da empresa em seus relatórios periódicos, assim como divulgar metas anuais assim que as circunstâncias permitirem.

A Nokia diz enxergar 2011 e 2012 como anos de transição, em virtude das novas ações em parceria com a Microsoft. Após esse período transitório, as metas de longo prazo da Nokia são:

&O1485;&O1472;As vendas líquidas da divisão de Devices & Services devem crescer mais rapidamente que o mercado;

A margem operacional non-IFRS (padrões internacionais de relatórios financeiros) de Devices & Services ficará em 10% ou mais.

Metas e previsões para a Nokia Siemens Networks

A Nokia e a Nokia Siemens Networks esperam que a receita da indústria como um todo cresça ligeiramente em 2011, comparada com 2010, sobretudo em banda larga móvel e serviços, mas, ao mesmo, prevêem uma queda em outros setores.   A Nokia e a Nokia Siemens Networks projetam que:   As vendas líquidas da Nokia Siemens Networks devem crescer mais rapidamente que o mercado em 2011;

&O1485;&O1472;A margem operacional non-IFRS da Nokia Siemens Networks deve ficar acima do breakeven (ponto de equilíbrio) de 2011

Novo time de executivos líderes e estrutura operacional

A nova estratégia anunciada pela Nokia é suportada por mudanças significativas na liderança, estrutura operacional e abordagem de mercado.

A partir de hoje, a empresa tem um novo time de executivos no comando. O Nokia Leadership Team, conhecido anteriormente como Group Executive Board, será formado pelos seguintes membros: Stephen Elop, Esko Aho, Juha Akras, Jerri DeVard, Colin Giles, Rich Green, Jo Harlow, Timo Ihamuotila, Mary McDowell, Kai Oistamo, Tero Ojanpera, Louise Pentland e Niklas Savander.

Alberto Torres deixou a equipe em 10 de fevereiro para se dedicar a outros projetos fora da empresa. 

A governança corporativa, renovada, irá agilizar a tomada de decisões e melhorar o tempo de lançamento dos produtos, sempre com foco em resultados, velocidade e responsabilidade. A nova estratégia deverá ter um forte impacto, tanto em termos de operações quanto no quadro de funcionários.

A partir de 1º de abril, a Nokia terá uma nova estrutura organizacional, com duas unidades de negócios: Smart Devices e Mobile Phones. Elas irão focar nas duas principais áreas de negócios da Nokia: smartphones de ponta e aparelhos móveis para os mercados de massa.

Cada unidade terá responsabilidades financeiras e operacionais sobre toda a experiencia do consumidor, incluindo desenvolvimento de produto, gestão e marketing.

Smart Devices - essa área será responsável por construir a liderança da Nokia no mercado de smartphones e será comandada por Jo Harlow. As subunidades abaixo estão sob essa área. São elas:

- &O1485;Smartphones Symbian;

- &O1472;Produtos MeeGo;

- Operações de negócios estratégicas.

Para suportar os planos da nova parceria com a Microsoft, a divisão de Smart Devices será responsável por criar o portfólio de produtos Windows Phone.

Mobile Phones - essa área cuidará da estratégia de “conectar o próximo bilhão”, como denomina a companhia. Esta divisão irá focar em inovações para levar internet e aplicativos aos mercados emergentes, a valores acessíveis. A unidade de Mobile Phones será liderada por Mary McDowell.

Caberá à área de Markets a função de vender os produtos, executar estratégias de marketing e comunicação eficientes, criar ecossistemas locais competitivos, gerenciar fornecedores, atendimento ao cliente, fabricação, TI e logística para todos os produtos da Nokia. Estará sob o comando de Niklas Savander.

Services and Developer Experience será o setor responsável pelo portfolio global de serviços da Nokia, com a meta de desenvolver ofertas, construir relações com desenvolvedores e integração com parceiros. Será liderada temporariamente por Tero Ojanpera.

A NAVTEQ , que faz parte dos negócios de localização e publicidade da Nokia, será comandada por Larry Kaplan, e continuará como uma entidade independente.

The CTO Office será responsável pela estratégia de tecnologia e atividades tecnológicas de longo prazo, incluindo o Nokia Research Center. Seu líder será Rich Green. Design , dedicado à criação do desenho dos produtos e da interface de usuário dos produtos Nokia, será liderada por Marko Ahtisaari.

The CFO Office cuidará das atividades financeiras e será comandada por Timo Ihamuotila.

Corporate Development terá a função de impulsionar a implementação da estratégia de ecossistemas da Nokia e realizará parcerias estratégicas. Ficará sob o comando de Kai Oistamo.

Corporate Relations & Responsibility , responsável pelas áreas de relações com o governo, sustentabilidade e responsabilidade social, será liderada por Esko Aho. Human Resources estará sob a liderança de Juha Akras. Legal and Intellectual Property ficará a cargo de Louise Pentland.

Por fim, a Nokia Siemens Networks continuará no Nokia Group como uma entidade independente.      

veja também