MENU

"Olimpíada dos robôs" testa tecnologia na Coreia do Sul

"Olimpíada dos robôs" testa tecnologia na Coreia do Sul

Atualizado: Segunda-feira, 10 Agosto de 2009 as 12

Pelo sexto ano a Coreia do Sul organiza uma disputa de robôs para testar os avanços da robótica, apresentar máquinas cada vez mais parecidas com o ser humano e também com outros animais. O evento, que pode ser chamado de "A olimpíada dos robôs", reuniu neste ano 1,1 mil participantes - o triplo de 2008 - vindos de dez países e competindo em dez modalidades.

Desta competição também podem sair os cientistas que vão construir os robôs do futuro. Já há crianças de seis anos de idade - dezenas delas - montando seus robozinhos e colocando as máquinas para brigar. São parecidas com aranhas e o objetivo é empurrar os adversários para fora do ringue.

Na luta pela supremacia cibernética vale quase tudo para saber quem é o melhor e o mais forte no mundo dos robôs. Esportes de robôs podem ser violentos. Por isso, o público humano fica fora. Eles se enfrentam em uma arena, coberta por acrílico reforçado. Nem todos os competidores terminam inteiros.

Um dos obstáculos que os robôs em forma de carros têm que tentar desviar enquanto se enfrentam na arena tem fogo, martelos, alçapões escondidos. É uma disputa pela sobrevivência e para esmagar o adversário. Já a luta de robôs humanóides é uma mistura de boxe, caratê e judô. Vale qualquer golpe para derrubar o adversário. Um zoológico-robô mostra a girafa-cibernética, a mosca gigante e outros animais que - felizmente - ainda estão sob controle dos humanos.

Futebol

Baseball ainda não é esporte olímpico. Falta melhorar a tacada. Mas ele gosta, aplaude e agradece. Já no futebol, os planos são ambiciosos: criar um time capaz de encarar o campeão mundial de clubes dos humanos. O jogo do século e - se depender dos construtores de robôs - já tem data para acontecer: será em 2050.

O representante do time americano diz que os robôs estão ficando - a cada ano - maiores, mais hábeis e mais espertos. Em pouco mais de 40 anos, será possível ter uma equipe capaz não apenas de enfrentar os melhores jogadores de carne e osso do mundo, mas vencer. Entre os robôs, são dois contra dois. É preciso ter canela de aço porque o juiz não marca nada. Até chutar goleiro e bola juntos para dentro das redes pode.

veja também