MENU

'Pai' de trenzinho das danças curiosas quer lucrar com sucesso na web

'Pai' de trenzinho das danças curiosas quer lucrar com sucesso na web

Atualizado: Quinta-feira, 3 Fevereiro de 2011 as 11:27

Uma ideia criada há cinco anos, a de fazer festas infantis e universitárias em um "trenzinho" com personagens dançando, ou melhor, tentando dançar de forma engraçada se tornou em um dos mais recentes sucessos da internet. O "Trenzinho Carreta Furacão" ou "Trenzinho Pancadão" ganhou clipes editados com hits como "Lisztomania", da banda Phoenix, e  "Gimme Some", da cantora Nina Simone, e foi parar entre os tópicos mais comentados do Twitter no Brasil.

"Eu não sabia que estava fazendo sucesso na internet. Espero que isso traga mais clientes", afirma Wellington Cardoni, 33 anos, dono da empresa de festas Trenzinhos Dominium, em Riberão Preto, a 314 km de São Paulo. Nos vídeos, personagens como Capitão América, Popeye, Homem-aranha e Fofão aparecem fazendo coreografias e correndo ao lado de veículos com nomes curiosos como "Carreta Furacão" e "Encantado".

Os vídeos começaram a ser mais acessados após outro, da Magali da internet, que conquistou mais de 700 mil visualizações. A jovem Tássia Nascimento Gomes, moradora de Duque de Caxias, tirou a máscara para o G1 e, assim como Wellington, se disse surpresa com a fama.

"Não somos nós que colocamos os vídeos na internet, são as pessoas que nos contratam e que gostam do nosso trabalho que divulgam nossas danças. Os adultos pedem muito para que os personagens façam suas coreografias e brincadeiras nas festas", conta.

Cardoni conta que os cinco jovens que trabalham para ele animando as festas treinam as dancinhas durante a semana para que, de sexta à domingo, possam apresentá-las e fazer com que os convidados se divirtam. "Eles são muito dedicados", afirma. "Pensamos em fazer as danças de forma engraçada mesmo". Agora, ter as danças faz parte de quem contrata a empresa para festas.

O sucesso dos vídeos, no entanto, ainda não trouxe um retorno desejado, de acordo com o dono da empresa.  Mas com mais divulgação e com passos de dança engraçados, Cardoni acredita que essa história ainda pode mudar.    

veja também