MENU

Proposta de domínio .p2p substituiria sistema atual de endereços na internet

Proposta de domínio .p2p substituiria sistema atual de endereços na internet

Atualizado: Quinta-feira, 2 Dezembro de 2010 as 11:30

Um novo tipo de domínio pode surgir na internet: seriam os endereços .p2p. Mas ao contrário dos endereços atualmente existentes na internet, os .p2p não dependeriam da aprovação do ICANN que atualmente centraliza o controle dos endereços da web. Em seu lugar, o .p2p usaria uma arquitetura descentralizada, similar à empregada nos torrents.

Peter Sundle, um dos fundadores do The Pirate Bay, propôs a alternativa ao atual sistema de DNS (Domain Name Server) após ações do governo dos EUA que retiraram do ar sites localizados em outros países. Ao contrário dos exemplos de censura na China e Irã, as ações dos EUA tornam o site inacessível de qualquer lugar do mundo e têm efeito mesmo que as páginas estejam hospedadas e mantidas em outros países. Isto porque a ação afetou diretamente o endereço de sites, cancelando completamente domínios como “Torrent-Finder.com”, em vez de somente bloquear o acesso ao site de dentro dos EUA.

A iniciativa dos EUA de retirar endereços do ar por é polêmica pois afeta domínios de alto nível, como “.com” e “.br”, que não são de propriedade dos EUA e sim administrados por um órgão internacional – o ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers). Porém, os EUA detém grande influência sobre o órgão e por isso consegue determinar ações unilaterais como esta. Além do cancelamento dos 82 domínios nesta segunda, há também um projeto de lei tramitando no congresso dos EUA que regularia o cancelamento dos endereços de sites hospedados em qualquer lugar no mundo.

A proposta de Sundle descentraliza a operação dos domínios, criando uma rede mais distribuída de DNS. Em vez de um ou poucos computadores determinarem a quem pertence cada domínio, os próprios usuários do sistema ajudariam uns aos outros a saber quem é o dono de um endereço .p2p. Para evitar fraudes, o sistema operaria em esquema de confiança – o computador de um usuário perguntaria a outro em que confia, por exemplo, os de seus colegas de trabalho. Por sua vez, estes consultariam outros computadores de confiança, e assim sucessivamente, gerando uma rede der respostas que permitiriam decidir com confiança quem é o dono de um endereço.

Para funcionar, o sistema dependeria de alterações nos navegadores ou sistemas operacionais, o que representa uma grande barreira a qualquer nova tecnologia. Além disso, há dúvidas se a solução não facilitaria o trabalho de hackers e bandidos virtuais que queiram “roubar” endereços da web. Quem quiser entrar no debate pode encontrar mais detalhes e participar da discussão no wiki oficial do projeto (http://j.mp/e8A3Gt).    

veja também